domingo, 31 de julho de 2016

Lewis Hamilton vence GP da Alemanha e amplia liderança na F1

Lewis Hamilton vence GP da Alemanha e amplia liderança na F1






Hamilton comemora vitória no Grande Prêmio da Alemanha de F-1 REUTERS/Ralph Orlowski O britânico Lewis Hamilton, da Mercedes, venceu o Grande Prêmio da Alemanha de Fórmula 1 neste domingo, garantindo sua quarta vitória consecutiva e ampliando sua vantagem sobre o companheiro de equipe Nico Rosberg na líderança do campeonato. Os brasileiros Felipe Massa, da Williams, e Felipe Nasr, da Sauber, não terminaram a corrida. Hamilton tirou vantagem no começo da corrida de Rosberg, que estava na pole e fez uma corrida decepcionante na frente da sua torcida, sem liderar a prova. O britânico cruzou a linha de chegada 6,9 segundos à frente de Daniel Ricciardo, da Red Bull, no pódio pela segunda vez seguida em sua 100ª participação em GPs. Seu colega de equipe, Max Verstappen terminou em terceiro lugar, garantindo à Red Bull seu primeiro pódio duplo em mais de um ano. Rosberg, que parecia imbatível após ter se superado a cada sessão nos treinos, ficou com a quarta colocação, tendo ganhado cinco segundos como penalidade por forçar Verstappen para fora pista. Foi a sexta vitória de Hamilton nas últimas sete corridas e quarta em seguida. A 49ª vitória na carreira do atual campeão o deixou com apenas duas atrás da marca de 51 vitórias do francês Alain Prost. Ele agora lidera à frente de Rosberg por 19 pontos na classificação, com nove rodadas de uma temporada recorde de 21 corridas restantes. As Ferraris de Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen ficaram em quinto e sexto lugares, respectivamente.

Fonte: Automobilismo R7
Categoria: formula-1

terça-feira, 26 de julho de 2016

Sogra de chefe da F1 é sequestrada em São Paulo

Sogra de chefe da F1 é sequestrada em São Paulo






Bernie Ecclestone é o chefe comercial da Fórmula 1 AE A sogra do chefe comercial da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, foi sequestrada em São Paulo e criminosos estão pedindo 120 milhões de reais em resgate, de acordo com reportagens. Aparecida Shunck, mãe da mulher de Ecclestone, Fabiana Flosi, foi levada na noite de sexta-feira, relatou a mídia. Segundo o site de notícias G1, os criminosos estão mantendo contato com a família. Ecclestone, que possui, junto com sua família, fortuna estimada pela revista Forbes em 3,1 bilhões de dólares, é um dos mais poderosos dirigentes esportivos do mundo. Ele casou com Fabiana em 2012, três anos após conhecê-la no Grande Prêmio do Brasil de F1. Ecclestone, de 85 anos, se divorciou de sua então esposa, a modelo croata Slavic Radic, para casar com a brasileira. O casal mora na Inglaterra. O crime de sequestro era comum no Brasil há uma década, com diversas pessoas sendo vítimas todos os dias, muitas vezes por quantias de poucas centenas de dólares. Uma repressão policial, incluindo a formação de uma divisão especial antissequestro, reduziu o número de forma considerada, tornando o crime mais raro ultimamente. (Reportagem Andrew Downie)

Fonte: Automobilismo R7
Categoria: formula-1

terça-feira, 14 de junho de 2016

Organização rebate chefão da Fórmula 1 e descarta perder GP do Brasil em 2017

Organização rebate chefão da Fórmula 1 e descarta perder GP do Brasil em 2017



GP do Brasil Fórmula 1 deste ano acontece em 13 de novembro Mark Thompson/Getty Images A organização do GP do Brasil de Fórmula 1 divulgou nota oficial nesta terça-feira (14) para descartar a possibilidade de a edição de 2017 da prova no País ser cancelada. A possibilidade surgiu depois que Bernie Ecclestone, chefão da categoria, afirmou em entrevista para a revista alemã Auto Motor und Sport, que há uma séria ameaça à realização da corrida em São Paulo no próximo ano em decorrência de dificuldades financeiras.

A nota oficial publicada distribuída pela organização da prova de F-1 disputada anualmente em Interlagos disse que "a verdade é que não existe condição legal para o rompimento do contrato com a empresa promotora do evento, a Interpub, cuja validade vai até 2020". Em seguida, assegurou que as melhorias no autódromo paulistano para a continuidade do evento nos próximos anos estão dentro do cronograma exigido pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA) e pelos organizadores da categoria máxima da velocidade.

"A Prefeitura Municipal de São Paulo está seguindo à risca o projeto de reforma do autódromo de Interlagos que, este ano, está em sua terceira fase. Para o GP deste ano, a área de paddock será ampliada, melhorando ainda mais as condições de trabalho das equipes", continua a nota oficial, na qual lembra do acerto de um acordo recém-firmado pela organização da prova que consequentemente trará novas receitas para o GP do Brasil de F-1.

"A Interpub acabou de fechar contrato exclusivo com a Heineken para o fornecimento de cerveja em Interlagos. O Brasil é um dos principais mercados em expansão para a marca. A Heineken tornou-se, a partir do GP do Canadá, uma das patrocinadoras oficiais da categoria", destacou a nota, na qual aproveitou para finalizar em seguida que os ingressos para a edição de 2016 da corrida brasileira estão à venda por meio do "único site oficial do evento - www.gpbrasil.com.br".

O final de semana de disputas do GP do Brasil de 2016 será realizado nos dias 11, 12 e 13 de novembro, na penúltima etapa do Mundial. A última prova da categoria acontece com o GP de Abu Dabi, nos dias 25, 26 e 27 de novembro.

Programas da Record na íntegra no R7 Play

Fonte: Automobilismo R7
Categoria: formula-1

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Hamilton admite que vantagem de Rosberg na temporada "é grande coisa"

Hamilton admite que vantagem de Rosberg na temporada "é grande coisa"



Lewis Hamilton começou a temporada atrás de Rosberg Reprodução/Instagram O tricampeão mundial de Fórmula 1 Lewis Hamilton ainda não perdeu a liderança de uma temporada para seu companheiro de Mercedes, Nico Rosberg, mas não está nem perto de subestimar o desafio que terá pela frente neste ano. Vendo Rosberg 36 pontos à sua frente depois de vencer as três primeiras corridas da atual campanha, que somadas lhe concederam 75 pontos, o britânico rejeitou nesta quinta-feira as insinuações de que a diferença não é grande coisa. "Não encaro isso com leviandade e não encaro como se não fosse grande coisa. É uma grande coisa", afirmou ele aos repórteres às vésperas do Grande Prêmio da Rússia. "São 36 pontos. É uma corrida e mais um pouco... não encaro isso pensando "ah, não é nada". É uma ladeira íngreme para se subir." Olhando pelo lado positivo, em 2014 Hamilton superou uma defasagem de 29 pontos em relação a Rosberg, e esta temporada será a mais longa da história, com 21 provas. Ainda há 18 pela frente, incluindo uma série de circuitos onde ele dominou em outras ocasiões. A Rússia, que estreou no calendário dois anos atrás, depois de sediar a Olimpíada de Inverno no mesmo local da corrida de domingo, dará a Hamilton uma grande chance de diminuir a vantagem de Rosberg, já que ele venceu ali em 2014 e 2015. Assista aos programas da Record no R7 Play

Fonte: Automobilismo R7
Categoria: formula-1

domingo, 24 de abril de 2016

Fernando Alonso diz que ainda tem habilidade para vencer os melhores da F-1

Fernando Alonso diz que ainda tem habilidade para vencer os melhores da F-1






Fernando Alonso afirmou estar confiante quanto a vencer qualquer um Getty Images Sem vencer uma corrida desde 2013, o bicampeão Fernando Alonso acredita que ainda tem potencial para fazer bonito na Fórmula 1. Nesta sexta-feira, ele garantiu que tem habilidades suficientes para vencer os melhores da atualidade se puder correr nas mesmas condições. O piloto espanhol não citou nomes, mas sugere que os melhores são o inglês Lewis Hamilton e o alemão Nico Rosberg, da poderosa Mercedes. "Eu sempre me sinto confiante quanto a vencer qualquer um", declarou o espanhol, em entrevista ao canal Sky, da Itália. "Eu não acho que eu seja melhor que os outros quando se mede apenas a velocidade num treino classificatório. Não acho que seja melhor que qualquer um em pista molhada, ou seca, no treino ou na corrida... Mas se você me colocar no mesmo carro que outro piloto, na mesma pista, no mesmo momento, eu acho que vou vencê-lo. Talvez eu não seja o melhor em todos setores, mas vou vencê-lo mesmo assim." Ao fazer estas declarações, Alonso tenta recuperar o espaço que vem perdendo na F1 nos últimos anos. Campeão em 2005 e 2006, o espanhol parecia prestes a dominar a categoria, principalmente ao trocar a Renault pela Ferrari. O sonho do tricampeonato, porém, não se concretizou. E Alonso teve fraco desempenho em seu último ano na equipe italiana. Na McLaren, a situação foi ainda mais difícil em seu primeiro ano. Diante do retorno da Honda ao time britânico, Alonso e o inglês Jenson Button tiveram performance sofrível em 2015. Agora, o espanhol demonstra ansiedade para voltar a brilhar na Fórmula 1. "Agora que o carro tem potencial para ser competitivo e para estar até no Q3 [última sessão do treino classificatório], quando você tem uma oportunidade, não pode perder. E, quando acontece, é por causa de uma bandeira vermelha", afirma, referindo-se a uma chance perdida na China. "Você fica muito frustrado porque sabe que uma oportunidade como esse pode não surgir de novo." Após três etapas disputadas neste ano, o espanhol ainda não somou pontos no Mundial de Pilotos. O mesmo acontece com seu companheiro Jenson Button. Assista aos programas da Record no R7 Play

Fonte: Automobilismo R7
Categoria: formula-1

sábado, 23 de abril de 2016

Piloto espanhol posta foto dizendo que sua recuperação está completa

Piloto espanhol posta foto dizendo que sua recuperação está completa



Fernando Alonso diz estar melhor Reprodução/Instagram Depois de quase um mês de seu acidente, o piloto de Fórmula 1 Fernando Alonso postou uma foto em seu Instagram e disse que sua recuperação está completa. O espanhol sofreu um grave acidente durante o GP da Austrália, dia 20 de março, que deixou seu carro destruído. Felizmente, o piloto não sofreu muitas lesões, mas teve que ficar sem correr por um tempo. Alonso estava se esforçando para acelerar sua recuperação e poder voltar o mais rápido possível para as pistas.O piloto chegou a correr no GP da China, que aconteceu dia 17 de abril, e deve estar 100% até o GP da Rússia, no dia 1° de maio. Assista aos programas da Record com o R7 Play

Fonte: Automobilismo R7
Categoria: formula-1

domingo, 27 de março de 2016

"Alonso se salvou por pouco", afirma médico da Fórmula 1

"Alonso se salvou por pouco", afirma médico da Fórmula 1



Carro de Alonso ficou completamente destruído após acidente Getty Images No último domingo, o piloto Fernando Alonso viu, de novo, a sua vida passar diante de seus olhos, após sofrer um grave acidente no Grande Prêmio da Austrália. O carro do espanhol chegou a capotar e bater com forma no muro. Ele, no entanto, saiu totalmente ileso. Para o médico da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), doutor Jurgen Lindemann, Alonso teve sorte após a impressionante batida. "Quando um piloto experiente como Alonso se vê nas imagens voando pelos ares e saindo ileso pode dizer a si mesmo: "Este carro é o mais seguro possível". Mas não nos esqueçamos de uma coisa. Ele teve sorte. Se salvou por pouco", disse Lindemann em entrevista à revista alemã Der Spiegel, reproduzida pelo espanhol Mundo Deportivo. Para Lindemann, Alonso só não se acidentou gravemente porque os pilotos da Fórmula 1 nos dias de hoje estão fisicamente preparados.
"Eu não estava lá, mas tenho certeza que lhe doía tudo, ossos e músculos. Isso demora uma semana para melhorar e depois passa, por regra geral. Os pilotos têm corpos muito bem treinados e elásticos. Podem encarar algo assim", afirmou o médico. O acidente de Alonso aguçou o debate sobre a melhora no cockpit dos pilotos. Alguns defendem que este deve ser todo fechado, para maior segurança.  Outros, no entanto, acham que o carro não apresentará a mesma estética presente hoje. A decisão sobre este tema deve ser tomada no final do mês de abril Assista aos programas da Record no R7 Play

Fonte: Automobilismo R7
Categoria: formula-1

sábado, 26 de março de 2016

FIA contraria pilotos e mantém formato polêmico de treino no próximo GP

FIA contraria pilotos e mantém formato polêmico de treino no próximo GP






Nico Rosberg venceu o GP da Austrália Getty Images A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) deu de ombros ao pedido dos pilotos e decidiu nesta quinta-feira que não vai alterar o formato do treino de classificação para a segunda etapa da temporada da Fórmula 1, dia 3 de abril, no Bahrein. As novas regras, que estrearam no GP da Austrália, causaram indignação dos pilotos, que foram unânimes nas críticas. Em carta assinada por Sebastian Vettel e Jenson Button em nome da Associação de Pilotos de Grandes Prêmios (GPDA, na sigla em inglês), eles pediram que as mudanças, que já haviam sido cogitadas pelo próprio Bernie Ecclestone, o chefão da F1, tivessem efeito imediato. "Os pilotos chegaram à conclusão de que o processo que toma as decisões no esporte é antiquado e mal estruturado e impede o progresso. Sentimos que algumas mudanças recentes nas regras tanto no âmbito esportivo como técnico, e também algumas diretivas empresariais, são perturbadoras, não enfrentam as grandes questões que enfrenta o nosso esporte e em alguns casos poderiam por em risco seu futuro êxito", diz o forte comunicado dos pilotos. Confira a página de automobilismo do R7 No domingo, antes mesmo da corrida em Melbourne, as equipes decidiram de maneira unânime que desejavam retornar à antiga forma de disputa pela classificação no grid. "Houve um encontro e decidimos retomar a fórmula dos anos anteriores para definir a classificação. Ainda precisa ser ratificado pela Comissão da F1, mas eu gostaria de saber quem defenderia o treino classificatório de sábado", afirmou na ocasião Toto Wolff, chefe de equipe da Mercedes, em entrevista ao site da Autosport. O problema é que a Comissão da F1 não aprovou essas mudanças. Nesta quinta, em encontro que contou com acionistas da F1, liderados por Ecclestone, as equipes e a Federação Internacional de Automobilismo (FIA), foi decidido que o treino de classificação manterá seu formato. "Vamos deixar as coisas como estão para esta prova (do Bahrein). Depois estudaremos para decidir se o que foi feito era o adequado, se não era o adequado, se precisa de modificação ou de anulação. Esta foi uma ideia da FIA, de modo que tenho que decidir que apoiaremos tudo que eles considerem o correto", avisou Ecclestone. As principais críticas para o formato de disputa pela pole position em 2016 aconteceram pela falta de ação durante o treino. No sábado, Lewis Hamilton fez um ótimo tempo e resolveu poupar o carro para a corrida. As outras equipes se contentaram com o que conquistaram e também acabaram por deixar os carros nos boxes.

Fonte: Automobilismo R7
Categoria: formula-1

sábado, 26 de dezembro de 2015

Ex-agente de Schumacher diz que esposa o impediu de fazer visitas

Ex-agente de Schumacher diz que esposa o impediu de fazer visitas



Veja a galeria completa Michael e Willi Weber no GP da Europa de 2009 Getty Images Ex-agente de Michael Schumacher, Willi Weber criticou publicamente neste sábado a esposa do ex-piloto, Corinna. Nas redes sociais, Weber afirmou que não está podendo visitar o heptacampeão da Fórmula 1 desde o acidente ocorrido há dois anos. E Corinna seria a responsável pela proibição. "Corinna está me impedindo de ter qualquer contato com Michael. Já tentei dezenas de vezes de ter a permissão dela, mas não tive nenhum sucesso", declarou Weber, ao jornal alemão Bild, para o qual reiterou as declarações que fez em postagem no Facebook. Schumacher tenta dar pequenos passos, diz revista Ao jornal, o ex-empresário de Schumacher disse não saber as razões das negativas de Corinna. "Eu não sei o que falar, não sei quais são os motivos. Não sei o que está por trás disso. Há sempre muitas desculpas e evasivas. Recentemente, ela disse que não permitira por medo de haver alguma infecção por bactéria", afirmou. Weber foi agente de Schumacher entre os anos de 1988 e 2010. Foi neste período que o alemão brilhou na F1, conquistando sete títulos e derrubando seguidos recordes. Ele era uma das pessoas mais próximas do ex-piloto, que deixou a categoria em definitivo no fim de 2012. "Antes do acidente, minha relação com Michael era sensacional", afirmou. Schumacher sofreu o grave acidente numa pista de esqui, nos Alpes Franceses, no dia 29 de dezembro de 2013. Uma forte pancada na cabeça deixou o ex-piloto em coma. Desde então, a família, alegando privacidade, divulgou raras informações sobre o estado de saúde do heptacampeão, que se recupera do acidente em casa, desde setembro do ano passado. R7 Play: Assista à Record onde e quando quiser

Fonte: Automobilismo R7
Categoria: formula-1

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Taskbar winXP missing or bugged [fixed]

Taskbar winXP missing or bugged [fixed]


You may delete the following register key and the system will restore to default values.

Go to regedit.exe
Locate and delete the keys inside the folder Desktop:

HKEY_USERS\S-1-5-21-1409082233-1637723038-8395...\Software\Microsoft\Windows\CurrentVersion\Explorer\Streams\Desktop

or

\HKEY_CURRENT_USER\Software\Microsoft\Windows\CurrentVersion\Explorer\
Streams\Desktop\TaskbarWinXP

Restart exprorer.exe


sábado, 28 de novembro de 2015

Rosberg leva a sexta pole position da temporada e larga na frente no GP de Abu Dhabi

Rosberg leva a sexta pole position da temporada e larga na frente no GP de Abu Dhabi



Campeonato já está decidido. Mas que vai levar a saideira? Getty Images Nico Rosberg anotou sua sexta pole position seguida e negou ao companheiro de Mercedes, Lewis Hamilton, a marca simbólica de 50 na Fórmula 1, neste sábado (28), no treino classificatório para o Grande Prêmio de Abu Dhabi, o último da temporada. O alemão, que corre com o número seis no seu carro, deixou o melhor para o fim, com uma excelente volta debaixo das luzes do circuito de Yas Marina, que derrubou o tricampeão mundial da primeira posição do grid. "Estou mais rápido no momento e muito feliz por causa disso. Estou aproveitando o momento e feliz por estar na pole novamente", disse Rosberg, que estava preocupado, depois dos treinos de sexta-feira, porque está usando um motor com muita quilometragem. Hamilton havia chegado ao topo apenas segundos antes, mas Rosberg, o vencedor das últimas duas corridas, melhorou seu jogo para cruzar a linha 0s377 mais rápido que o adversário e repetir a pole de 2014. Com os dois campeonatos decididos há muito tempo, para Hamilton e a Mercedes, a corrida de domingo parece um duelo entre os dois companheiros de equipes, ambos determinados a irem para as férias com uma vitória nas costas. A 15ª primeira fila dos dois foi um recorde para uma única temporada e mais uma marca pode ser derrubada no domingo, porque a Mercedes pode encerrar outra temporada dominante com uma dobradinha. "Eu realmente tive alguns problemas com o carro", disse Hamilton, que foi o mais rápido nas duas primeiras etapas do classificatório. "Estivemos trabalhando muito forte para fazer algumas mudanças, tivemos que tirar coisas do carro, mas Nico foi apenas muito rápido", acrescentou o britânico, que se conforta com o fato de que apenas uma vez em seis anos a corrida foi vencida pelo pole position. Hamilton venceu ano passado e está atrás da sua 44ª vitória na carreira - com o carro número 44 no 44° aniversário da fundação dos Emirados Árabes Unidos. Kimi Raikkonen, da Ferrari, e Sergio Pérez, da Force India, compõem a segunda fila atrás dos pilotos da Mercedes. O tetracampeão Sebastian Vettel, companheiro de Raikkonen e vencedor de três corridas este ano, classificou-se apenas em 16° depois que o time acreditou que a sua volta seria suficiente para ele avançar à próxima fase. "O carro está muito bom este final de semana", disse Raikkonen, que terá um jogo de pneus super-macios para a corrida, ao contrário dos dois carros a sua frente. "Eu sabia que havia espaço para melhorar. Ainda foi um pouco atrás do que os outros dois fizeram". O australiano Daniel Ricciardo começa em quinto lugar, com a sua Red Bull, e Valtteri Bottas, da Williams, está ao seu lado na terceira fila. Romain Grosjean, da Lotus, que irá para a Haas na próxima temporada, classificou-se em 15°, após encostar o carro na segunda fase por causa de um problema com a marcha. A McLaren, com motor Honda, recebeu notícias melhores, com Jenson Button classificando-se em 12° lugar, ao final da pior temporada da história deles. Confira o grid de largada do GP de Abu Dabi de Fórmula 1: 1) Nico Rosberg (ALE/Mercedes), 1min40s237 2) Lewis Hamilton (ING/Mercedes), 1min40s614 3) Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari), 1min41s051 4) Sergio Pérez (MEX/Force India), 1min41s184 5) Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull), 1min41s444 6) Valtteri Bottas (FIN/Williams), 1min41s656 7) Nico Hülkenberg (ALE/Force India), 1min41s686 8) Felipe Massa (BRA/Williams), 1min41s759 9) Daniil Kvyat (RUS/Red Bull), 1min41s933 10) Carlos Sainz Jr. (ESP/Toro Rosso), 1min42s708 ------------------------------------------------ 11) Max Verstappen (HOL/Toro Rosso), 1min42s521 12) Jenson Button (ING/McLaren), 1min42s668 13) Pastor Maldonado (VEN/Lotus), 1min42s807 14) Felipe Nasr (BRA/Sauber), 1min43s614 15) Romain Grosjean (FRA/Lotus), sem tempo ------------------------------------------------ 16) Sebastian Vettel (ALE/Ferrari), 1min42s914 17) Fernando Alonso (ESP/McLaren), 1min43s187 18) Marcus Ericsson (SUE/Sauber), 1min43s838 19) Will Stevens (ING/Marussia), 1min46s297 20) Roberto Merhi (ESP/Marussia), 1min47s434

Fonte: Automobilismo R7
Categoria: formula-1

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Pilotos pedem mais emoção nas corridas de Fórmula 1

Pilotos pedem mais emoção nas corridas de Fórmula 1



Veja a galeria completa Hamilton, Rosberg e Vettel querem mais emoção na Fórmula 1 Felipe Rau/Estadão Conteúdo Os três primeiros colocados no GP do Brasil de Fórmula 1 deste domingo, em Interlagos, reforçaram o antigo pedido dos fãs de Fórmula 1 e disseram que a categoria precisa propiciar mais ultrapassagens. O vencedor da prova, o alemão Nico Rosberg, assim como os outros dois presentes ao pódio, o inglês Lewis Hamilton e o também alemão Sebastian Vettel, afirmam que é preciso mudanças, mas lamentaram que isso dependa dos dirigentes. A prova em Interlagos teve poucas ultrapassagens e para os pilotos, isso deve às características da pista e da Fórmula 1 atual. "Se você prestar atenção no que era há 10, 20 anos atrás, era diferente e tinha mais ultrapassagens nas corridas", comentou Vettel, da Ferrari. Segundo o alemão, atualmente é muito impossível passar por um concorrente mesmo que esteja até dois décimos de segundo mais rápido. Vettel explicou que a categoria pode ser mais equilibrada com uma mudança nos compostos de pneu. "É simples. Melhores pneus nos fariam ir mais rápidos. Pilotos sempre querem mais velocidade. Infelizmente, o esporte é muito político, com diferentes interesses de variadas pessoas. Penso que o melhor seja dar ao fornecedor, neste caso a Pirelli, a chance de melhorar o produto", afirmou. Felipe Massa sofre punição e é desclassificado O tricampeão Hamilton também não poupou críticas aos dirigentes. "O que nós falamos sobre isso não importa. Os grandes chefes tomam as decisões independente se escolhem o que é melhor ou não", afirmou. O inglês explicou que a categoria atual não é atraente para os fãs verem pela televisão e seria interessante ter alguma mudança para facilitar mais disputas na pista. Neste domingo, o piloto da Mercedes lamentou que Interlagos não propicia pontos de ultrapassagem como outros autódromos e por isso a prova foi monótona, com o domínio do alemão Nico Rosberg. "Se tiver uma provável mudança, acho que deveríamos olhar como positiva para todos nós", disse o inglês. O companheiro de equipe dele concordou. "Sem dúvida sempre precisamos pensar em melhorar o nosso esporte". A Fórmula 1 prepara para 2017 uma nova grande mudança no regulamento, mas ainda não foi comentado sobre como facilitar ultrapassagens. A categoria tem se preocupado principalmente em devolver barulho aos carros, já que som abafado dos motores turbo, implantados em 2014, gerou críticas dos fãs. Assista aos programas da Record com o R7 Play

Fonte: Automobilismo R7
Categoria: formula-1

domingo, 15 de novembro de 2015

Felipe Massa sofre punição e é desclassificado do GP do Brasil de Fórmula 1

Felipe Massa sofre punição e é desclassificado do GP do Brasil de Fórmula 1






Felipe Massa é o atual sexto colocado, com 117 pontos, no Mundial de Pilotos de Fórmula 1 Mark Thompson/Getty Images Após se dizer "frustrado" com o rendimento no GP do Brasil de Fórmula 1, Felipe Massa ganhou mais um motivo para esquecer a corrida deste domingo (15) no autódromo de Interlagos, em São Paulo. O piloto da Williams foi desclassificado da prova por decisão dos comissários da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), no início da noite.

Apesar do tricampeonato, Hamilton ainda persegue Senna

Massa foi desclassificado da prova porque seu pneu traseiro direito apresentava temperatura mais elevada que o permitido. De acordo com os técnicos da Pirelli, o composto estava com 137 graus, quando o máximo permitido é 110. Com isso, o carro do brasileiro infringiu três artigos dos Regulamentos Técnico e Esportivo da F1 e do Código Esportivo da FIA.

A investigação teve início ainda durante a prova disputada neste domingo. Mas o julgamento demorou cerca de duas horas para ser finalizado. A decisão só saiu no início da noite, definindo o pior resultado de Massa em uma prova da Fórmula 1 no autódromo de Interlagos. A desclassificação também confirma o pior resultado de pilotos do País no GP brasileiro nas últimas cinco edições.

Com a decisão, Massa perdeu os quatro pontos conquistados na prova e se manteve mais distante da briga pelo quarto lugar do Mundial de Pilotos. Agora tem 117 pontos, ainda no sexto lugar, atrás dos 136 do companheiro de equipe, o finlandês Valtteri Bottas, e dos 135 do também finlandês Kimi Raikkonen, da Ferrari. Contudo, não tirou da Williams o terceiro lugar no Mundial de Construtores, garantido neste domingo com a quinta colocação de Bottas.

Por outro lado, a punição beneficiou os pilotos que terminaram a prova logo atrás de Massa, incluindo seu compatriota Felipe Nasr, que trocou o 14.º pelo 13.º lugar. O venezuelano foi o maior beneficiado ao entrar na zona de pontuação, com a nova 10.ª colocação. O holandês Max Verstappen pulou para o 9.º lugar e o francês Romain Grosjean agora é o 8.º colocado da prova.

Mais cedo, Massa se dissera "frustrado" com a corrida por conta das dificuldades encontradas ao longo de todo o fim de semana. Neste domingo, ele não conseguiu se aproximar dos primeiros colocados e ainda esteve abaixo do ritmo de Valtteri Bottas. "Foi um fim de semana para esquecer", declarou o piloto ao fim da prova, antes da punição.

Confira como ficou a classificação final do GP do Brasil de Fórmula 1: 1.º - Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - em 1h31min09s090, após 71 voltas 2.º - Lewis Hamilton (ING/Mercedes) - a 7s756 3.º - Sebastian Vettel (ALE/Ferrari) - a 14s244 4.º - Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari) - a 47s543 5.º - Valtteri Bottas (FIN/Williams) - a 1 volta 6.º - Nico Hülkenberg (ALE/Force India) - a 1 volta 7.º - Daniil Kvyat (RUS/Red Bull) - a 1 volta 8.º - Romain Grosjean (FRA/Lotus) - a 1 volta 9.º - Max Verstappen (HOL/Toro Rosso) - a 1 volta 10.º - Pastor Maldonado (VEN/Lotus) - a 1 volta 11.º - Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull) - a 1 volta 12.º - Sergio Pérez (MEX/Force India) - a 1 volta 13.º - Felipe Nasr (BRA/Sauber) - a 1 volta 14.º - Jenson Button (ING/McLaren) - a 1 volta 15.º - Fernando Alonso (ESP/McLaren) - a 1 volta 16.º - Marcus Ericsson (SUE/Sauber) - a 2 voltas 17.º - Will Stevens (ING/Marussia) - a 4 voltas 18.º - Alexander Rossi (EUA/Marussia) - a 4 voltas 19.º - Felipe Massa (BRA/Williams) - desclassificado Não completou a prova Carlos Sainz (ESP/Toro Rosso)

Fonte: Automobilismo R7
Categoria: formula-1

sábado, 14 de novembro de 2015

Pilotos tiram onda com péssimo desempenho da McLaren

Pilotos tiram onda com péssimo desempenho da McLaren



Equipe McLaren levou na esportiva protesto de Alonso e Button Reprodução/Instagram Campeões mundiais de Fórmula 1, Fernando Alonso e Jenson Button sem dúvida mereciam melhor sorte na temporada 2015. O espanhol e o inglês estão sofrendo com a nova estruturação da McLaren e neste sábado (14) decidiram fazer um protesto para lá de bem humorado. Os pilotos não se intimidaram com quaisquer represálias e invadiram o pódio do GP do Brasil, em Interlagos, arrancando risos e aplausos dos que estavam por perto.

Veja aqui como ficou o treino classificatório

Se os dois foram por conta ao lugar mais alto do pódio, a atitude da McLaren também não fica muito atrás. A equipe se apressou para usar as redes sociais e agradecer aos pilotos pela dedicação. O time inglês também usou hashtags com mensagens de “nunca desistir”, “pódios virão” e  “acredita na McLaren Honda”.

Button e Alonso são 16º e 17º colocados no Mundial de Pilotos, com apenas 16 e 11 pontos conquistados. O inglês teve uma sexta posição no GP dos Estados Unidos, enquanto o arrebatou um quinto lugar como melhores colocações na temporada.

Fonte: Automobilismo R7
Categoria: formula-1

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Líder do dia, Rosberg prevê batalha com Hamilton pela pole no GP do Brasil de Fórmula 1

Líder do dia, Rosberg prevê batalha com Hamilton pela pole no GP do Brasil de Fórmula 1



Nico Rosberg, da Mercedes, luta pela segunda colocação no Mundial de Pilotos da Fórmula 1 Werther Santana/Estadão Conteúdo O vice-líder do Mundial de Fórmula 1, Nico Rosberg, da Mercedes, disse nesta sexta-feira (13) em Interlagos que o maior rival para conseguir a pole position neste sábado para o GP do Brasil deve ser o companheiro de equipe, Lewis Hamilton. De acordo com o alemão, o fim de semana deve ter uma disputa acirrada entre os dois, que dominaram as duas primeiras sessões de treinos livres.

"Lewis foi muito rápido hoje e parece que nós vamos ter novamente uma grande disputa neste fim de semana", disse o alemão. Rosberg marcou o melhor tempo na segunda sessão, na parte da tarde, com o tricampeão logo na sequência. Pela manhã os dois inverteram as posições. Antes do treino classificatório, na tarde de sábado, os carros vão para a pista na parte da manhã para a terceira e última sessão.

Segundo o alemão, ter superado o inglês à tarde não garante favoritismo para a pole. "Os tempos na parte da tarde não mostram a situação real. Lewis dirigiu com alguns ajustes do motor diferentes do meu e também está rápido para o fim de semana", comentou. Rosberg vem de vitória no México e decide nas duas corridas finais o vice-campeonato com o compatriota Sebastian Vettel, da Ferrari, que ficou em terceiro lugar nas duas sessões desta sexta-feira.

Rosberg tem demonstrado otimismo desde a chegada ao Brasil e disse que a postura confiante se explica pela vitória obtida em Interlagos no ano passado. "O ambiente está ótimo. É um circuito histórico, os fãs estão entusiasmados. Eu tenho ótimas memórias do Brasil e estou ansioso para poder fazer um bom treino (de classificação neste sábado, às 14 horas)", comentou.

Punição
A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) anunciou que vai punir o finlandês Valtteri Bottas com a perda de três posições no grid de largada. O piloto da Williams fez manobra proibida ao ultrapassar o brasileiro Felipe Nasr, da Sauber, enquanto a segunda sessão de treinos livres era realizada sob bandeira vermelha para a retirada do carro de Fernando Alonso, da McLaren, que teve problemas no motor.

Programas da Record na íntegra no R7 Play

Fonte: Automobilismo R7
Categoria: formula-1

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Sonolento, Hamilton exibe semblante abatido após 'se matar' em festa de sua mãe

Sonolento, Hamilton exibe semblante abatido após 'se matar' em festa de sua mãe



Hamilton foi o centro das atenções em Interlagos Duda Bairros / GP Brasil de F1 Abatido, sonolento, parecendo fraco. Assim o campeão da temporada de Fórmula 1, Lewis Hamilton, apresentou-se na tarde desta quinta-feira (12) em Interlagos. O piloto, que atrasou sua chegada ao Brasil por ter se envolvido num acidente de trânsito segunda-feira, em Mônaco, e também por ter ficado com febre nos últimos dias, estava pouco à vontade na entrevista dada à imprensa internacional. Voz baixa, aspecto desinteressado, pareceu viver 10 minutos de sofrimento. São Paulo ganha mural gigante em homenagem a Ayrton Senna A Mercedes também estava preocupada com o aspecto de seu piloto. Tanto que proibiu os fotógrafos de entrar na sala destinada à equipe no paddock, numa tentativa de evitar imagens do britânico. As fotos foram feitas com os profissionais posicionados do lado de fora da sala, até uma funcionária da equipe alemã perceber e pedir para que se retirassem. O tricampeão mundial, porém, garantiu estar bem e motivado para tentar vencer pela primeira vez em Interlagos. "Estou animado em estar aqui", disse, com voz baixa. "Eu ainda não ganhei essa corrida, que aliás, é uma corrida que o Ayrton [Senna] teve dificuldades para ganhar." O fato de já ter conquistado o título, garante Hamilton, não diminuiu sua vontade de competir atrás de vitórias. Disse que seguirá motivado no GP do Brasil e também na corrida de encerramento da temporada, em Abu Dabi. "É que depois vamos ficar muito tempo sem poder pilotar." Ao falar novamente dos problemas que motivaram seu atraso, o tricampeão disse que no sábado sua mãe fez aniversário e que ele "se matou" na festa. Mas, ao voltar ao tom sério, afirmou que o maior problema foi a febre.

Fonte: Automobilismo R7
Categoria: formula-1

sábado, 31 de outubro de 2015

Rosberg ultrapassa Hamilton e faz quarta pole seguida

Rosberg ultrapassa Hamilton e faz quarta pole seguida



Nico Rosberg ainda luta pelo vice-campeonato de Fórmula 1 Getty Images No treino antes do GP do México, Nico Rosberg conseguiu a pole position com 1m19s489 e será o primeiro no grid de largada. O segundo lugar ficou com o já campeão, Lewis Hamilton. Já é a quarta vez seguida que Rosberg consegue a pole, no entanto, nas outras três oportunidades ele foi ultrapassado pelo inglês. Hamilton, que estave em primeiro durante boa parte do treino classificatório, cometeu um erro na última volta, quando travou os pneus na curva 1 e foi ultrapassado pelo alemão. Dedicado a conseguir o segundo lugar no campeonato e fazer uma dobradinha da Mercedes, Rosberg também foi o mais rápido no treino de sexta-feira (30). Vettel, que briga pelo segundo lugar com o piloto da Mercedes, ficou em terceiro lugar. Felipe Massa, por sua vez, fez 1m20s567 e largará em sétimo lugar. O GP do México acontece neste domingo (1º) e está previsto para largar às 17h.  Confira o resultado do treino classificatório do GP do México: 1º - Nico Rosberg (ALE/Mercedes), 1min19s480 2º - Lewis Hamilton (ING/Mercedes), 1min19s668 3º - Sebastian Vettel (ALE/Ferrari), 1min19s850 4º - Daniil Kvyat (RUS/Red Bull), 1min20s398 5º - Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull), 1min20s399 6º - Valtteri Bottas (FIN/Williams), 1min20s448 7º - Felipe Massa (BRA/Williams), 1min20s567 8º - Max Verstappen (HOL/Toro Rosso), 1min20s710 9º - Sergio Pérez (MEX/Force India), 1min20s716 10º - Nico Hülkenberg (ALE/Force India), 1min20s788 11º - Carlos Sainz Jr (ESP/Toro Rosso), 1min20s942 12º - Romain Grosjean (FRA/Lotus), 1min21s038 13º - Pastor Maldonado (VEN/Lotus), 1min21s261 14º - Marcus Ericsson (SUE/Sauber), 1min21s544 15º - Felipe Nasr (BRA/Sauber), 1min21s788 16º - Alexander Rossi (EUA/Marussia), 1min24s136 17º - Will Stevens (ING/Marussia), 1min24s386 18º - Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari), 1min22s494* 19º - Fernando Alonso (ESP/McLaren), 1min21s779* 20º - Jenson Button (ING/McLaren), sem tempo** Programas da Record na íntegra no R7 Play

Fonte: Automobilismo R7
Categoria: formula-1

domingo, 11 de outubro de 2015

Raikkonen é punido e Mercedes garante título do Mundial de Construtores

Raikkonen é punido e Mercedes garante título do Mundial de Construtores






Punição ao piloto Kimi Raikkonen rendeu título para a Mercedes Reuters Faltando ainda quatro etapas para o fim da temporada 2015 da Fórmula 1, a Mercedes assegurou neste domingo o bicampeonato do Mundial de Construtores. A equipe de Lewis Hamilton e Nico Rosberg garantiu a conquista em razão da punição aplicada ao finlandês Kimi Raikkonen, da Ferrari. Ele perdeu seis pontos por conta da batida no compatriota Valtteri Bottas na volta final do GP da Rússia, disputado o Sochi. Raikkonen foi punido com o acréscimo de 30 segundos em seu tempo final na prova russa. Desta forma, pulou do quinto para o oitavo lugar na classificação final. Assim, em vez de ganhar 10 pontos, terá apenas quatro na tabela do Mundial de Pilotos. A pontuação também serve para definir as colocações no Mundial de Construtores. E, ao perder seis pontos, a Ferrari ficou com 359 pontos, distante dos 531 da Mercedes. Com esta diferença, a equipe italiana não conseguirá mais alcançar a rival nas últimas quatro corridas da temporada (EUA, México, Brasil e Abu Dabi). A Williams ocupa o terceiro lugar geral, com 220. A disputa do Mundial de Construtores é encarada como prioridade pelas equipes da F1 porque serve de parâmetro para a premiação ao fim da temporada. A organização da Fórmula 1 não revela os valores, mas estima-se que a equipe campeã embolse uma cifra superior aos 100 milhões de euros. A Mercedes também venceu o Mundial de Construtores de 2014. A punição a Raikkonen beneficiou os pilotos que ficaram logo atrás na classificação da corrida russa, como o brasileiro Felipe Nasr. O piloto da Sauber saiu do sétimo para o sexto lugar. O anfitrião Daniil Kvyat, da Red Bull, subiu para o quinto posto e o venezuelano Pastor Maldonado, da Lotus, virou o novo sétimo colocado da prova. Raikkonen foi punido por prejudicar Bottas nos últimos trechos do traçado de Sochi. Na disputa pelo terceiro lugar, o finlandês da Ferrari acertou em cheio a Williams do compatriota e o tirou da prova ao tentar ultrapassá-lo na entrada da curva 4. Bottas abandonou na hora. Raikkonen ainda completou em oitavo, apesar de estar com o carro avariado.

Lewis Hamilton vence GP da Rússia e acidentes "ajudam" Felipe Massa a terminar na 4ª posição Antes de sofrer a pena aplicada pelos comissários da prova, o piloto da Ferrari minimizou o incidente. "Eu já tinha passado ele naquela curva durante a corrida. Eu estava perseguindo ele na curva 3, não estava muito longe. E tentei fazer a ultrapassagem. Depois que você decide ir para cima, não há como voltar atrás", comentou. "Não vi se ele me viu ou se estava me esperando. Eu tentei passar pelo lado de dentro, mas acabamos colidindo. Para mim, isso é automobilismo. Tentei ultrapassar, mas infelizmente a manobra terminou daquele jeito", minimizou Raikkonen. Bottas, por sua vez, reprovou a iniciativa do compatriota. "Estou muito decepcionado. Estava em terceiro na volta final. Deveria ter ido ao pódio. Mas agora estou aqui com zero ponto", criticou. Para o piloto da Williams, não houve "incidente de corrida" na batida. "Não foi um incidente normal de corrida. Eu não estava vendo ele. Eu estava na frente e, de repente, alguém me acertou", lamentou. O finlandês da Ferrari não foi o único punido pelos comissários na Rússia. O espanhol Fernando Alonso teve cinco segundos acrescido em seu tempo final de corrida por não respeitar os limites da pista na curva 16. O piloto da McLaren caiu do 10º para o 11º lugar, saindo da zona de pontuação. O holandês Max Verstappen entrou no Top 10. Confira a classificação atualizada do GP da Rússia: 1º - Lewis Hamilton (ING/Mercedes) 2º - Sebastian Vettel (ALE/Ferrari) 3º - Sergio Pérez (MEX/Force India) 4º - Felipe Massa (BRA/Williams) 5º - Daniil Kvyat (RUS/Red Bull) 6º - Felipe Nasr (BRA/Sauber) 7º - Pastor Maldonado (VEN/Lotus) 8º - Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari) 9º - Jenson Button (ING/McLaren) 10º - Max Verstappen (HOL/Toro Rosso) 11º - Fernando Alonso (ESP/McLaren) 12º - Valtteri Bottas (FIN/Williams) 13º - Roberto Merhi (ESP/Marussia) 14º - Will Stevens (ING/Marussia) Não completaram: Nico Rosberg (ALE/Mercedes) Romain Grosjean (FRA/Lotus) Marcus Ericsson (SUE/Sauber) Nico Hülkenberg (ALE/Force India) Carlos Sainz Jr. (ESP/Toro Rosso) Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull) Veja programadas da Record na íntegra e no R7 Play!

Fonte: Automobilismo R7
Categoria: formula-1