segunda-feira, 31 de março de 2014

"Ferrari voltará a ganhar títulos", diz presidente da FIA

"Ferrari voltará a ganhar títulos", diz presidente da FIA

Jean Todt já liderou a escuderia de Maranello

Jean Todt pede paciência aos «tifosi» e dá alento a Stefano Domenicali, o chefe de equipa da Ferrari, função que o próprio Todt desempenhou no período de maior domínio da equipa no
Mundial de Fórmula 1.

“Eu sempre recebi críticas, mesmo que ganhássemos tudo. Criticaram-nos, inclusivamente, por ganharmos demais e tornar o campeonato aborrecido”, contou o francês, em entrevista ao canal italiano RAI.

Esta é a ideia que Todt quer passar a Domenicali para tentar serenar os que pedem uma troca na liderança. Até porque acredita em melhores dias.


domingo, 30 de março de 2014

Ron Dennis assume: "Fui eu que apostei em Kevin Magnussen"

Ron Dennis assume: "Fui eu que apostei em Kevin Magnussen"

Diretor executivo da McLaren ordenou troca Perez-Magnussen

A decisão de trocar Sergio Pérez por Kevin Magnussen pertenceu unicamente a Ron Dennis. Foi o próprio diretor executivo da Mclaren a confirmar que a decisão foi sua, numa das poucas vezes que interveio na equipa de F1 em 2013.

“Às vezes uma única pessoa pode tomar uma decisão. Neste caso fui eu. Houve algumas ocasiões em que apareci durante 2013 e esta foi uma delas”, assumiu, em declarações à revista «Autosport».



 

Kevin Magnussen pode ser o novo Lewis Hamilton?


sábado, 29 de março de 2014

Ayrton Senna estreou-se na F1 há 30 anos

Ayrton Senna estreou-se na F1 há 30 anos

Primeira corrida foi o GP do Brasil de 1984 ao serviço da Toleman

Foi a 25 de março de 1984 que o mundo viu, pela primeira vez, Ayrton Senna numa corrida de Fórmula 1. Na prova que abria o Mundial desse ano, o brasileiro tomou o seu lugar na modesta Toleman para uma corrida na pista de Jacarepagua, no seu país natal.

Senna chegou à Fórmula 1 aos 24 anos, depois de se ter sagrado campeão da Fórmula Ford e da F3 inglesa.
A estreia, contudo, foi amarga. Durou apenas oito voltas. Senna foi obrigado a abandonar por causa de um problema mecânico no seu caro. “Parece que o turbo quebrou. Não estou dececionado. Quebrou, paciência. Fica para a próxima”, comentou na altura à TV Globo.

Ex-companheiro acusa: "Ayrton Senna queria a equipa só para ele"

O brasileiro tinha conseguido a qualificação para a corrida no 16º lugar, numa sessão de qualificação que deixara Elio de Angelis, da Lotus, na pole-position. Senna ficou a 5,1s do mais rápido.

A corrida foi ganha por Alain Prost e o pódio ficou completo com Keke Rosberg e Elio de Angelis.

Apesar deste ter sido o ponto de saída, a primeira grande exibição do brasileiro na F1 foi no GP do Mónaco desse ano, marcado pela intensa chuva que se fez sentir. A corrida acabou por ser interrompida na volta 31 e a vitória foi dada a Alain Prost. Senna vinha no seu encalço e estava cada vez mais perto.

A primeira vitória da carreira veio apenas no ano seguinte, já na Lotus, no GP de Portugal. Em 1988 foi, pela primeira de três vezes, campeão do mundo.

Fonte:
http://www.autoportal.iol.pt/desporto/f1-desporto/video-ayrton-senna-estreou-se-na-f1-ha-30-anos

sexta-feira, 28 de março de 2014

Dono da Red Bull atira-se à FIA: "Mediram mal"

Dietrich Mateschitz acredita que equipa irá provar que o seu sensor mediu bem o fluxo de combustível

Dietrich Mateschitz, dono da Red Bull, garante que a sua equipa não cometeu qualquer ilegalidade no Grande Prémio da Austrália de Fórmula 1, que teve como ponto mais polémico a exclusão de Daniel Ricciardo, depois de ter sido segundo na corrida.

A Red Bull alega que o sensor da FIA estava a medir mal e, por isso, decidiu usar o seu próprio na corrida de Melbourne. Os resultados foram, assim, dispares e levaram à desclassificação.


quinta-feira, 27 de março de 2014

FOTOS: veja como é o novo volante de Fórmula 1

Novos volantes estão cada vez mais próximos de uma consola de jogos. Rosberg compara-os a um smartphone
 
Se pensava que pilotar um monolugar de Fórmula 1 era só acelerar, travar e virar o volante, que tal ver como é o volante de uma destas máquinas?


A introdução de novas tecnologias em 2014, nomeadamente o ERS (Energy Recovery System), e a disponibilização de mais dados ao piloto obrigou à reformulação dos volantes.

A grande diferença encontra-se na introdução de um enorme visor multifunções, que obrigou a uma maior concentração de comandos no pouco espaço que resta do volante.

A alteração exige também por parte dos pilotos maior atenção na sua utilização. “O mostrador é muito diferente, quase igual a um smartphone”, comentou o piloto da Mercedes, Nico Rosberg.

Com os novos volantes, o piloto passa a ter disponíveis vários dados gráficos, incluindo a possibilidade de escolher 100 modos possíveis de configurações. Estão disponíveis ainda gráficos do controlo de temperatura e da degradação dos pneus.


quarta-feira, 26 de março de 2014

Os novos F1 são menos divertidos de conduzir: Romain Grosjean

Grosjean desiludido: "Os novos F1 são menos divertidos de conduzir"

Preocupação com o consumo de combustível e desgaste de pneus tiraram diversão
 
Romain Grosjean confessa estar desiludido com o efeito que as alterações regulamentares provocaram nos monolugares de Fórmula 1, sobretudo ao nível da condução.

"Não é tão divertido como era antes", afirmou Grosjean. “Agora há muitos componentes de recuperação de energia que precisamos de lidar e gerir”, explica.

As alterações regulamentares obrigam ao piloto a um maior cuidado na gestão do consumo de combustível e desgaste de pneus.

Grosjean não esconde que os monolugares tornaram-se mais difíceis e menos interessantes de conduzir. "Já não conduzimos no limite 90 por cento da corrida como antes. Agora, muitas vezes, isso não passa de 30 por cento”, sublinha.

"É um pouco frustrante como piloto, mas as regras são essas e precisamos de nos adaptar", afirma, resignado o piloto da Lotus.

Fonte:
http://www.autoportal.iol.pt/desporto/f1-desporto/grosjean-desiludido-os-novos-f1-sao-menos-divertidos-de-conduzir

terça-feira, 25 de março de 2014

Red Bull ameaça deixar a Foruma 1

Red Bull ameaça deixar a Foruma 1


" O compromisso da Red Bull tem limites "Fundador da Red Bull Dietrich Mateschitz , alertou que o fabricante de bebidas energéticas não é infinitamente Empenhada em Fórmula Um, depois de Daniel Ricciardo ter sido excluído do GP da Austrália por causa do sensor de fluxo de combustível.Falando à publicação com sede em Viena Kurier , o bilionário austríaco da Red Bull admitiu que poderia deixar o esporte se ele já não produzir os resultados desejados." O fato é que o sensor da federação deu valores imprecisos desde o início dos testes (inverno) ", disse Mateschitz Kurier ."Nós podemos provar que estava-mos dentro dos limites [ na Austrália ] ."A questão não é tanto sobre se faz sentido econômico, mas mais a ver com o valor esportivo, influência política e assim por diante."Tivemos tudo, mas nestas coisas da nossa perspectiva , há um limite claro para o que podemos aceitar. "Mateschitz acrescentou que ele está um pouco frustrado com a decisão da FIA de levar o esporte para um tom mais "verde", com o foco em motores V6 mais eficientes."A Formula Um deve ser novamente o que sempre foi : a disciplina final",  acrescentou o empresário de 69 anos." Ele não está lá para estabelecer novos recordes no consumo de combustível , ou então você pode falar em um sussurro durante a corrida e a maior emoção é o barulho dos pneus." Considero igualmente absurdo que tenhamos um segundo mais lento do que o rítmo do ano passado e a GP2 série júnior ser quase tão rápida quanto uma fórmula 1 com uma fração do orçamento.Apesar de sua antipatia aos novos regulamentos da F1, Mateschitz acrescentou que os Campeões do Mundo vão continuar a desenvolver os seus carros ao longo da temporada , na esperança de recuperar o atraso com os carros de motor Mercedes."Estamos trabalhando o tempo todo com o nosso parceiro Renault e pretendemos dar mais um grande passo nas próximas duas a três semanas. Há 18 corridas pela frente ", continuou ele ."Vamos estar de volta. "

Adaptado de:
http://www.planetf1.com/driver/3213/9229592/-Red-Bull-s-commitment-has-limits-

sexta-feira, 21 de março de 2014

Felipe Massa pede suspensão de Kobayashi após acidente na largada

Felipe Massa pede suspensão de Kobayashi após acidente na largada


Um desapontado Felipe Massa pediu à FIA para tomar uma abordagem linha-dura com Kamui Kobayashi, dizendo que suas travessuras não são diferentes das de Romain Grosjean no ano passado.
Tirando dois aspirantes do Campeonato - e outros - no início do Grande Prêmio da Bélgica de 2012, Grosjean foi punido com a suspensão de por uma corrida.
Massa agora quer o mesmo para Kobayashi após o piloto da Caterham te-lo atingido e o levado para fora no início do GP da Austrália de domingo.
"Alguém me bateu maciçamente, e foi realmente uma pena, pois tudo estava sob controle para o início ", disse o piloto da Williams disse para a Autosport .
"Eu estava muito cuidadoso indo para a linha com muita segurança, mas cada vez que Kamui tentar fazer um começo de corrida como este ele vai cometer o mesmo erro.
" Você não pode frear a 50 metros em uma largada como essa. "
Ele acrescentou: " Eu não vejo uma diferença entre o que aconteceu com o seu início e o que aconteceu com Grosjean quando ele fez um início louco em Spa ".
Pressionado sobre o que ele acredita que seria um curso de ação apropriado contra o piloto japonês , Massa afirmou: "Espero que eles deem uma penalidade rígida porque não se pode fazer isso . "


Adaptado de:
http://www.planetf1.com/driver/3460/9216663/Massa-calls-for-Kobayashi-ban

quinta-feira, 13 de março de 2014

Massa exibirá mensagem a Schumacher no GP da Austrália de F1

Massa exibirá mensagem a Schumacher no 

GP da Austrália de F1


Felipe Massa irá exibir uma pequena mensagem de apoio para Michael Schumacher no GP australiano, a primeira corrida desde o acidente de esqui que deixou a lenda alemã lutando por sua vida.
O piloto brasileiro disse que vai dirigir com as iniciais "MS" estampada em seu capacete para a abertura da temporada em Melbourne.
Sete vezes campeão mundial Schumacher permanece em coma induzido desde bater a cabeça em uma pedra enquanto esquiava no resort francês de Meribel em 29 de dezembro de 2013.
O piloto de 45 anos está mostrando " pequenos sinais encorajadores " de recuperação , afirma sua família nesta quarta-feira , apesar de reconhecer que ele enfrenta uma longa batalha pela frente. 


Na quinta-feira Felipe Massa, que foi companheiro de equipe de Schumacher durante anos de glória do alemão na Ferrari, pagou um tributo emocional para seu amigo no Twitter .
" Michael está sempre comigo ! Seja muito forte irmão ! Amor ! #19 ", ele twittou, assinando com o número do carro .
"Eu penso nele todos os dias. Estou orando por ele todos os dias ", disse Massa numa conferência oficial para a mídia quinta-feira.
"Então, eu espero que tudo possa voltar ao normal e ele fique bem ."
" Com certeza foi uma pena ver o que aconteceu, mas eu continuo pensando nele ."
"Ele está no meu capacete e vou continuar orando e espero que as coisas possam ficar bem para ele e ele possa voltar. " (Felipe Massa)
As condições precárias de Schumacher lançaram uma nuvem escura sobre a preparação para a nova temporada de F1 com pilotos e funcionários orando para a recuperação bem sucedida do alemão.
O Presidente da Federação Internacional de Automobilismo, Jean Todt, que era o diretor da Ferrari na época de Schumacher com a equipe italiana, disse que tem de visitar o seu antigo cargo quase semanalmente.
"Estou monitorando a situação a cada dia ", Todt disse ao jornal Daily Telegraph da Grã-Bretanha .
"Eu posso te dizer que ainda temos grandes esperanças para Michael ."
"Ele é um grande cara, um grande campeão, um grande ser humano, e eu só espero que ele possa estar de volta com a gente. " (
Jean Todt)

quarta-feira, 5 de março de 2014

Falta de ritmo da Red Bull 2014 não é segredo


Falta de ritmo da Red Bull 2014 não é segredo

Embora Sebastian Vettel esteja ciente de que a Red Bull esteja em baixa no seu ritmo, ele admite que existem " problemas maiores ", eles primeiro precisam ser resolvidos.
O Campeão do Mundo deu apenas 77 voltas no teste final Bahrain tendo sido marginalizado no sábado, devido a vários problemas com o carro.


 

Isso, no entanto, foi pelo menos mais quatro voltas do que ele havia percorrido no teste anterior no circuito de Sakhir - que também foi um passo a cima a partir das 11 voltas que ele conseguiu em Jerez.
Mas enquanto sua milhagem pode ter aumentado, os tempos de volta não foram nada bons.
Vettel terminou o teste Bahrain com um melhor tempo de 1:37.468 , o que foi mais de quatro segundos mais lento do que o melhor tempo da semana.
"Estamos ", disse ele quando perguntado se ele estava preocupado com o ritmo da Red Bull . "Não é segredo."
" Com certeza não podemos fazer as vezes que os caras no topo estão fazendo para uma série de razões , mas no momento temos problemas maiores para resolver do que apenas o ritmo. "
Apesar de problemas contínuos da equipe, que atingiram tanto Vettel e seu novo companheiro de equipe, Daniel Ricciardo , o atual Campeão Mundial insiste que a Red Bull não irá levá-los para baixo.
"Todo mundo está bem."
" É um momento muito difícil , porque é um carro difícil de trabalhar e você pode ver , bem como para as outras equipes , se você tem o tempo de inatividade , dependendo de onde o dano é , onde o problema é que é um grande trabalho para reparar e consertar. é por isso que leva um longo tempo ."
"Ontem duas questões eram ruins o suficiente para , basicamente, nos impediram de correr o dia inteiro . Hoje tivemos alguns problemas, mas estavam funcionando durante todo o dia , isso mostra o quão diferente cada dia pode ser. Mas estou feliz , fizemos um monte de voltas . "
Mas, apesar de problemas de confiabilidade, juntamente com a falta de velocidade, Vettel não descarta as chances da Red Bull na Austrália.
"É muito difícil. Obviamente eu não estou chamando a nós mesmos os favoritos, nós não fizemos voltas suficientes ."
"A velocidade não está lá em comparação com alguns outros times por isso temos de esperar e ver quando chegarmos lá . "

terça-feira, 4 de março de 2014

Não há planos para substituir Bernie Ecclestone

Não há planos para substituir Bernie Ecclestone

O trabalho de Bernie Ecclestone como diretor-executivo da Formula Um é seguro, pelo menos por enquanto.

No início deste ano, o cargo de Bernie na fórmula 1 esteve em risco, depois de que um tribunal de Munique prosseguiu com acusações.

Ecclestone irá para a alemanha em abril para responder às acusações de corrupção relacionadas com a venda da F1 para a CVC. Se for considerado culpado, ele pode ir para a cadeia ou, no mínimo, perder o emprego.



 

Isso levou à especulação sobre quem vai substituí-lo quando chegar o momento com o chefe de equipe da Red Bull, Christian Horner, anunciado como o favorito.

Por enquanto, porém, a CVC não tem intenção de substituir o senhor de 83 anos de idade.