segunda-feira, 30 de junho de 2014

Prontuário de Schumi pode ter sido fotografado em ambulância, diz jornal

Prontuário de Schumi pode ter sido fotografado em ambulância, diz jornal

De acordo com publicação suíça “Sonntagsblick”, investigadores não acreditam que arquivos tenham sido furtados ou hackeados dos computadores de hospital francês

Rodeado de mulheres, ex-F-1 relaxa em iate de R$ 45 milhões na Itália

Rodeado de mulheres, ex-F-1 relaxa em iate de R$ 45 milhões na Itália

Irlandês Eddie Irvine é flagrado com três mulheres em barco na costa de Portofino

domingo, 29 de junho de 2014

Depois de xará, Felipe Nasr guia carro campeão de 96 da Williams: "Mágico"

Depois de xará, Felipe Nasr guia carro campeão de 96 da Williams: "Mágico"

No sábado, Felipe Massa já havia andado com modelo que deu o título a Damon Hill. Maior festival automobilístico mundial, Goodwood recebe carros históricos anualmente

Felipe Massa dirige Williams do campeão de 96, Damon Hill: "Incrível"

Felipe Massa dirige Williams do campeão de 96, Damon Hill: "Incrível"

Piloto e modelo foram atrações do Festival Goodwood, na Inglaterra

sábado, 28 de junho de 2014

Modelo inovador, Lotus de Graham Hill é leiloada por R$ 2,5 milhões

Modelo inovador, Lotus de Graham Hill é leiloada por R$ 2,5 milhões

Modelo 49B foi guiado pelo piloto britânico no título de 1968 e atingia 180km/h

Emerson Fittipaldi guia McLaren do bicampeonato e vibra: "Está perfeito!"

Emerson Fittipaldi guia McLaren do bicampeonato e vibra: "Está perfeito!"

Nos 40 anos do primeiro título da escuderia britânica, piloto brasileiro faz exibição no Festival de Goodwood, na Inglaterra, e põe filho de 7 anos para experimentar cockpit

Duelo Hamilton x Rosberg pega fogo e vira um &8220;Senna x Prost&8221;

Duelo Hamilton x Rosberg pega fogo e vira um &8220;Senna x Prost&8221;
Aconteceu o inevitável: Hamilton e Rosberg entraram em rota de colisão na Mercedes. E ainda só não colidiram, literalmente falando, pelo fato de a pista de Monte Carlo não permitir. Em Mônaco é assim: se quem vai na frente não errar, ou não tiver um carro muito inferior, é impossível ultrapassar. O mesmo traçado que [...]

Aconteceu o inevitável: Hamilton e Rosberg entraram em rota de colisão na Mercedes. E ainda só não colidiram, literalmente falando, pelo fato de a pista de Monte Carlo não permitir. Em Mônaco é assim: se quem vai na frente não errar, ou não tiver um carro muito inferior, é impossível ultrapassar. O mesmo traçado que colocou fogo na disputa interna na equipe durante o treino classificatório de sábado, foi o responsável por adicionar panos quentes no domingo.

Desde que se percebeu que a Mercedes teria um carro imbatível neste ano, com dois pilotos igualmente capazes de vencer, as comparações com Senna x Prost passaram a ser inevitáveis. Assim como na disputa mítica da década de 80/90, a duelo Hamilton x Rosberg começou bem, com promessas de respeito mútuo. Mas não há amizade e parceria que resista ao caldeirão de emoções e responsabilidades que é disputar a ponta de um Mundial de Fórmula 1, com a certeza de que o seu único adversário é o seu companheiro de equipe.

Hamilton não perdeu o companheiro de equipe de vista durante boa parte da prova. O inglês só ficou para trás quando algo caiu em seu olho e prejudicou a sua pilotagem, nas últimas voltas

O próprio Hamilton citou, após o treino de sábado, ao site Total Race, que buscaria inspiração na épica disputa do passado para lidar com a atual situação. “Não sei se Senna e Prost sentavam e conversavam sobre o que acontecia, eu meio que gosto do jeito com que Senna lidou com a situação. Vou fazer como ele”, disse.

Se a questão é delicada para quem está atrás do volante, imagine para quem está fora das pistas, mas detém o controle da companhia. A Mercedes começou o ano com o título mais do que nas mãos, somente um desastre ou um milagre aerodinâmico de outro time seria capaz de mudar o cenário de domínio absoluto da montadora alemã. De repente, a dobradinha que era encarada como um resultado normal, passou a ser ameaçada pela rivalidade interna dos seus pilotos.

O prejuízo ainda não passa de uma possibilidade. Mas o único questionamento sobre um acidente envolvendo Hamilton x Rosberg não é se vai acontecer, mas quando. Imaginem aquele cenário que se repetiu por duas vezes entre Senna x Prost: qual cuidado terá o piloto que está na frente no campeonato para evitar uma colisão? Nenhum. Quem perde, em caso de acidente doméstico, é a equipe – que não pontua com ninguém.

Além do prejuízo financeiro (em destruir o carro) e esportivo (em perder pontos), há ainda a questão de marketing. Por mais que as disputas ferrenhas façam brilhar os olhos dos torcedores, para os patrocinadores não pega muito bem. Voltando a fita para 80/90: Prost acusava publicamente a Honda de beneficiar Senna, por supostamente conceder ao brasileiro os melhores motores. Os japoneses insistiam que os equipamentos eram iguais, até chegaram ao ponto de sortear os motores (que teoricamente só tinham o número de série diferente) na presença dos pilotos.

Há ainda quem aposte que a Mercedes deva dar uma forcinha para fazer com que haja um rodízio de vencedores, para manter o campeonato disputado até o final. Será?

Na verdade, tudo faz parte da disputa psicológica por trás das corridas. A Fórmula 1 nunca foi um esporte “santo”. Muita coisa que seria encarada como “marmelada” em outras categorias, é vista com naturalidade. O chororô de Hamilton – que se disse prejudicado pela bandeira amarela causada pelo próprio Rosberg na classificação – agora tem um argumento a mais para barganhar algum tipo de vantagem nas próximas corridas. O inglês agora tem a justificativa que precisa para correr com a faca nos dentes, contra o seu rival na disputa do título, não mais contra o seu companheiro de equipe paz-e-amor.

Em Montreal, daqui a duas semanas, o espetáculo está garantido. As longas retas e o traçado desafiador do circuito do Canadá vão proporcionar o que faltou em Mônaco para vermos o 1º round entre Hamilton x Rosberg: ultrapassagens.


GP da Áustria mostra que Williams finalmente se encontrou

GP da Áustria mostra que Williams finalmente se encontrou
O 4º lugar no GP da Áustria foi a melhor posição do ano para Felipe Massa. Motivo para comemorar? Sim, mas a perda de 3 posições após os primeiros pit-stops deixou um gosto amargo. Após largar na pole, o brasileiro cruzou a linha de chegada com a certeza de que, mais uma vez, poderia ter [...]

O 4º lugar no GP da Áustria foi a melhor posição do ano para Felipe Massa. Motivo para comemorar? Sim, mas a perda de 3 posições após os primeiros pit-stops deixou um gosto amargo. Após largar na pole, o brasileiro cruzou a linha de chegada com a certeza de que, mais uma vez, poderia ter feito uma corrida muito melhor. Poderia, inclusive, ter brigado pela vitória. Ou, pelo menos, chegado à frente do companheiro de equipe para subir ao pódio na terceira colocação. Não deu.

Na minha opinião, melhor ainda do que os pontos do 4º lugar, é a esperança que se renova na Williams. Após uma pré-temporada de muito otimismo e até uma euforia exagerada, a realidade das corridas foi dura com a escuderia inglesa. Se a imprensa apostava em uma Williams no encalço da Mercedes pelas primeiras posições, os primeiros GPs mostraram que não havia concorrentes para a equipe alemã. E pior: Ferrari, Red Bull, e até mesmo Force India e McLaren pareciam estar em iguais condições de ritmo de prova com a Williams.

Agora, com a dobradinha no treino de classificação e com o 3º e 4º na corrida, o time inglês pela primeira vez na temporada mostra a força que se esperava desde a pré-temporada. Mesmo que as condições do circuito Red Bull Ring favoreçam a Williams, por ser uma pista de alta velocidade e de curvas rápidas, é notória a evolução do carro.

De volta ao calendário da Fórmula 1, circuito de Spielberg produziu belas imagens

A grande ironia do final de semana é que o traçado prejudicou a própria Red Bull, dona do circuito. O time campeão do ano passado tem como ponto forte o equilíbrio aerodinâmico, que favorece o desempenho nas partes mais sinuosas. O fraco desempenho do motor Renault – que, aliás, deixou Vettel pelo caminho – é o calcanhar de Aquiles num traçado com retas, curvas de alta velocidade e trechos em subida.

Williams desgastou mais os pneus do que a Mercedes

Mas voltando a falar de Massa, o piloto culpou a estratégia da equipe e a demora no pit-stop para justificar a queda de 1º para 4º lugar após as paradas dos líderes: “o problema foi a primeira parada”, disse Massa, ao site TotalRace. “Não sei o que aconteceu. Eu voltei em uma posição muito difícil, em que o Hamilton estava muito próximo e acabou me ultrapassando. Ali foi onde eu perdi a chance de brigar pelo pódio. Chegar na frente das Mercedes seria difícil, mas o pódio era possível.”

O fato é que, segundo a própria Williams, o brasileiro perdeu as posições por uma combinação de 3 fatores: uma volta ruim de Massa antes da parada, um pit 0.8 s mais lento que Bottas, além de problemas para aquecer os pneus ao voltar para a pista. O resultado foi não só a perda de posições para as duas Mercedes, mas também para o companheiro de equipe.

A equipe também rebateu a crítica de que teria errado na estratégia ao demorar para chamar o brasileiro para a primeira parada nos boxes. Normalmente, na F1, quem está na frente costuma “copiar” a estratégia de quem está atrás, para evitar trocas de posições nos boxes. Confesso que não entendi, durante a prova, os motivos da Williams não ter chamado Massa para a parada na volta seguinte a Rosberg. O alemão parou na volta 12, enquanto o brasileiro só entrou na 15.

A estratégia permitiu que Rosberg voltasse para a pista com o caminho livre e pneus novos. Os piloto da Mercedes – Hamilton parou na volta 13 – viraram tempos muito mais rápidos que o brasileiro, com pneus desgastados.

Após a prova, com a poeira mais baixa, os engenheiros da Williams defenderam a estratégia adotada. Segundo eles, se Massa parasse no mesmo momento que Rosberg, seria obrigado a fazer uma última perna de corrida muito longa – com pneus gastos demais. A Mercedes, de outro lado, com um carro mais equilibrado, desgastou menos os pneus, o que permitiu adotar a estratégia diferente e ganhar as posições da Williams nos boxes.

Massa comemora com a mulher e o filho após a pole no sábado; esperança da Williams está definitivamente renovada


Perez foi, sim, o culpado por acidente com Massa

Perez foi, sim, o culpado por acidente com Massa
O desfecho do GP do Canadá por pouco não foi trágico. Na abertura da última volta, Massa bateu na traseira de Perez – que já tinha problemas nos freios – e os dois rodopiaram até colidir contra a barreira de pneus. O brasileiro, inclusive, por pouco não atingiu violentamente a lateral da Red Bull de [...]

O desfecho do GP do Canadá por pouco não foi trágico. Na abertura da última volta, Massa bateu na traseira de Perez – que já tinha problemas nos freios – e os dois rodopiaram até colidir contra a barreira de pneus. O brasileiro, inclusive, por pouco não atingiu violentamente a lateral da Red Bull de Vettel, que contornava tranquilo a curva 1. Aí sim, a coisa teria sido bem pior do que foi.

Os dois foram encaminhados ao hospital para fazer exames. O regulamento determina que colisões acima de 18 G exigem que os envolvidos sejam avaliados por médicos, como medida de precaução. Para se ter uma ideia de quão forte foi o acidente, os dois carros registraram impactos de 27 G. Liberados, foram diretamente contar a sua versão dos fatos aos fiscais da prova. E a decisão veio em seguida: Perez foi considerado culpado por ter mudado a sua linha de corrida e, consequentemente, causado o acidente.

O acidente ocorreu quando os pilotos estavam quase a 300 km/h. Se não fosse a desaceleração das rodadas, efeito poderia ter sido devastador para os dois.

Diferentemente de um bandeirinha em uma partida de futebol, que precisa dar veredictos instantaneamente, os fiscais da F1 tem todo o tempo do mundo para analisar as diversas faces do incidente, colher depoimentos e dissecar a telemetria. Com tudo isso em mãos, tomam a decisão final. É difícil acreditar que se trate de “achismo”. No caso da corrida de domingo, foi possível verificar, por exemplo, que Massa freou 5 metros antes, na curva 1, em relação à volta anterior – descartando a hipótese de que o brasileiro poderia ter perdido o ponto de freada e por isso causado a colisão.

Confesso que ao assistir a prova não tive dúvidas sobre a culpa de Massa (se eu fosse um bandeirinha durante uma partida de futebol, teria errado). Mesmo após os replays da transmissão, me parecia bem claro que Massa havia calculado mal o momento de colocar o carro de lado para tentar a ultrapassagem. Pensei que apenas o fato de Perez frear muito antes do normal – por já apresentar problemas no carro – poderia livrar o brasileiro de ser condenado no caso. Estava totalmente enganado.

Nenhuma imagem, replay, câmera onboard, é tão precisa na argumentação quanto o infográfico reproduzido pelo blog WTF1. A análise da trajetória dos carros mostra claramente que Perez tenta fechar a porta – tarde demais – para Massa. Vejam a linha de Vettel, por exemplo. Ele contorna a leve curva para a direita o mais próximo possível da linha branca. Tudo isso para posicionar o carro para atacar a verdadeira curva 1 do circuito, para a esquerda. Esse é de fato o traçado ideal.

Publicação by WTF1 – The Alternative F1 Blog.

Reparem que Perez já vem um pouco mais por fora, justamente para dificultar a manobra de Massa, que tinha mais ação e ameaçava a posição do mexicano. O brasileiro, por sua vez, estava mais por fora ainda, com o objetivo de colocar o carro na frente para ter a preferência quando os dois chegassem lado a lado na curva 1. Neste tipo de ultrapassagem, quem está na posição de Massa sempre busca ficar o mais próximo possível do adversário, no momento da freada, para ter o melhor ângulo no ataque à curva.

A defesa do mexicano:

“Eu estava seguindo a mesma linha e ponto de freada das voltas anteriores e fui atingido por trás por Massa. Havia muito espaço no lado esquerdo do meu carro para tentar uma ultrapassagem limpa e eu não consigo entender o motivo dele querer passar raspando em mim”, disse.

Perez também postou uma imagem que mostra Massa virando para a direita, enquanto ele aparece com o volante reto, para sustentar a sua versão de que foi Massa quem bateu nele, não o contrário. Ele só esqueceu que a pista fazia uma leve curva para a direita. Então, na prática, Massa estava “indo reto”, enquanto Perez se posicionava mais para a esquerda, ao deixar o volante alinhado.

A sua equipe, Force India, também postou uma imagem com setas que não fazem o menor sentido.

Publicação by Sahara Force India Formula One Team.

A defesa do brasileiro:

“Poderíamos ter tido um acidente muito sério, a punição não é o bastante. (…) Não é a primeira vez que ele vai para o lado de alguém no meio da freada. Ele tem feito isso muitas vezes, mas ele não fala nada. Apenas vira as costas e vai embora”, afirmou.

Massa postou na sua conta do Instagram uma imagem “estilo Tira-teima” que mostra que Perez alterou sua linha ao se aproximar da curva.

A conclusão

Pelo infográfico, é possível ver claramente que Perez altera a sua linha tarde demais – comparem a posição do carro do mexicano com a linha branca que delimita a pista. Com esse exercício, vemos que Vettel segue uma linha praticamente inalterada. O mesmo acontece com Massa, até o momento do choque. Ao contrário de Perez, que vira para a esquerda e toca com a roda traseira esquerda na frontal direita de Massa. Aliás, antes da colisão é possível perceber que Massa tenta escapar do choque, virando para a esquerda, mas já não havia mais tempo. Caso encerrado: Perez, culpado!

No entanto, o post segue: mesmo que não tenha dúvidas quanto à culpa de Perez, sou contra a punição de 5 posições no grid da próxima corrida ao mexicano. Apesar de ter causado uma colisão potencialmente grave, não podemos esquecer que a F1 é, em sua essência, um esporte de risco. Encaro o acidente como “ossos do ofício”, algo que poderia ser evitado, mas que não foi feito de forma proposital ou por extrema imperícia. Perez tentou se defender na hora errada, apenas isso.

Do outro lado, acredito que Massa poderia, sim, ter evitado o acidente. Em primeiro lugar, as ultrapassagens na curva 1 são raras, portanto não havia motivos para emparelhar o carro com o mexicano naquela posição. De outro, Massa poderia ter tentado ultrapassar Perez com “mais folga”. Apesar de ser mais difícil, pois quanto mais para a esquerda o brasileiro fosse, mais apertado iria tornar o ângulo para a tomada da curva, haveria menos risco de acidente.

O brasileiro foi levado a isso tudo por ter pneus mais novos que todos os seus rivais no final da prova. Massa foi agressivo quando precisou ser, mas jamais podemos esquecer que ser agressivo implica em correr mais riscos. Aí vira tudo ou nada. No caso de domingo, foi nada. E a irregularidade de Massa reproduz um cenário muito comum dos duelos contra Alonso: o brasileiro tem, no momento, menos da metade dos pontos do seu companheiro de equipe. São 40 de Bottas contra 18. Hora de acordar.


sexta-feira, 27 de junho de 2014

Dono da Caterham escreve "F-1 não funcionou" e apaga conta no Twitter

Dono da Caterham escreve "F-1 não funcionou" e apaga conta no Twitter

Tony Fernandes já havia dito que 2014 seria um ano decisivo para o futuro do time

Em iate, Hamilton curte Mônaco com Samuel L. Jackson e Magic Johnson

Em iate, Hamilton curte Mônaco com Samuel L. Jackson e Magic Johnson

Residente do principado, piloto britânico almoça com lendas de cinema e basquete

Príncipe Harry visita o Instituto Ayrton Senna antes de deixar o Brasil

Príncipe Harry visita o Instituto Ayrton Senna antes de deixar o Brasil

Herdeiro do trono britânico é recebido por Viviane Senna, irmã de Ayrton e presidente da fundação, e autografa réplica do capacete do piloto morto em 1994, em Ímola-ITA

Fórmula 1 terá relargadas com grid parado a partir da próxima temporada

Fórmula 1 terá relargadas com grid parado a partir da próxima temporada

Reunião do Conselho Mundial de Esporte a Motor define fim dos bicos estranhos, aprova placas de titânio para produzir faíscas e reduz quantidade de testes no ano

Fittipaldi guiará carro do 1º título da McLaren em Goodwood e Silverstone

Fittipaldi guiará carro do 1º título da McLaren em Goodwood e Silverstone

Nos 40 anos do primeiro título da história da vitoriosa equipe britânica, bicampeão mundial fará exibição com M23, carro com o qual conquistou a sua segunda taça

Prontuário médico de Schumacher é roubado de hospital e oferecido

Prontuário médico de Schumacher é roubado de hospital e oferecido

Assessora do heptacampeão, Sabine Kehm confirma informação. Ladrões teriam oferecido dados a veículos da imprensa europeia. Polícia está investigando o caso

Frustrado com motores, chefe da RBR dispara contra Renault: "Inaceitável"

Frustrado com motores, chefe da RBR dispara contra Renault: "Inaceitável"

Após corrida pífia em casa, com abandono de Vettel e resultado ruim de Ricciardo, Christian Horner perde paciência com fornecedora de propulsores da equipe austríaca

Pacotão: carros clássicos, trajes típicos e Red Bullying da Mercedes na Áustria

Pacotão: carros clássicos, trajes típicos e Red Bullying da Mercedes na Áustria

Após ser surpreendida por Williams de Massa e Bottas no treino, equipe alemã faz dobradinha com Rosberg e Hamilton e provoca a dona da casa RBR, que pagou mico

Hamilton celebra seis anos de namorocom Nicole em Veneza e nos EUA

Hamilton celebra seis anos de namorocom Nicole em Veneza e nos EUA

Piloto da Mercedes e cantora pop comemoram com estilo mais um ano juntos

Schumacher perderá patrocinador pessoal de longa data, diz jornal suíço

Schumacher perderá patrocinador pessoal de longa data, diz jornal suíço

Segundo “Sonntagsblick”, água mineral "Rosbacher", que estampa imagem do heptacampeão da F-1 há mais de oito anos, não renovará o contrato neste ano

Alemão, Rosberg celebra triunfo na Áustria: "Como se estivesse em casa"

Alemão, Rosberg celebra triunfo na Áustria: "Como se estivesse em casa"

Piloto da Mercedes supera Felipe Massa e Valtteri Bottas da Williams na primeira rodada de pit stops e chega a sexto triunfo na carreira, igualando o pai, Keke

Quarto após pole, Massa diz: "Estava claro que nunca iríamos vencer"

Quarto após pole, Massa diz: "Estava claro que nunca iríamos vencer"

Após sustentar liderança até primeira rodada de pit stops, piloto da Williams admite que a missão de segurar as Mercedes de Rosberg e Hamilton era quase impossível

Com grande largada, Lewis minimiza prejuízo: "Tirei um coelho da cartola"

Com grande largada, Lewis minimiza prejuízo: "Tirei um coelho da cartola"

Largando em nono após erro no treino classificatório, Hamilton ganha cinco posições na primeira volta e termina GP da Áustria em segundo, atrás apenas de Nico Rosberg

Bottas celebra 1º pódio na carreira e evolução da Williams: "Muito grato"

Bottas celebra 1º pódio na carreira e evolução da Williams: "Muito grato"

Piloto consegue terceiro lugar em corrida que deixa evidente superioridade da equipe Mercedes. Piloto chegou a liderar, mas foi ultrapassado ao parar nos boxes, na Áustria

Williams não resiste a Mercedes, Nico vence e Massa chega em 4º na Áustria

Williams não resiste a Mercedes, Nico vence e Massa chega em 4º na Áustria

Em corrida pouco movimentada, equipe alemã ganha posições nos boxes e emplaca dobradinha em Spielberg. Bottas é pódio e brasileiro tem seu melhor resultado do ano

Massa celebra, diz que "Williams está de volta", mas alerta sobre Mercedes

Massa celebra, diz que "Williams está de volta", mas alerta sobre Mercedes

Novamente na pole position após quase seis anos, brasileiro comemora façanha, sonha em vencer na Áustria, mas lembra que time alemão ainda é o melhor de 2014

Alonso parabeniza Massa e ressalta: "Companheiro mais veloz que já tive"

Alonso parabeniza Massa e ressalta: "Companheiro mais veloz que já tive"

Após pole de Felipe na Áustria, espanhol recebe brasileiro com abraço carinhoso, mas deixa claro: "Amanhã, eu tenho a esperança de terminar na frente dele"

Duelo Hamilton x Rosberg pega fogo e vira um “Senna x Prost”

Duelo Hamilton x Rosberg pega fogo e vira um “Senna x Prost”
Aconteceu o inevitável: Hamilton e Rosberg entraram em rota de colisão na Mercedes. E ainda só não colidiram, literalmente falando, pelo fato de a pista de Monte Carlo não permitir. Em Mônaco é assim: se quem vai na frente não errar, ou não tiver um carro muito inferior, é impossível ultrapassar. O mesmo traçado que [...]

Aconteceu o inevitável: Hamilton e Rosberg entraram em rota de colisão na Mercedes. E ainda só não colidiram, literalmente falando, pelo fato de a pista de Monte Carlo não permitir. Em Mônaco é assim: se quem vai na frente não errar, ou não tiver um carro muito inferior, é impossível ultrapassar. O mesmo traçado que colocou fogo na disputa interna na equipe durante o treino classificatório de sábado, foi o responsável por adicionar panos quentes no domingo.

Desde que se percebeu que a Mercedes teria um carro imbatível neste ano, com dois pilotos igualmente capazes de vencer, as comparações com Senna x Prost passaram a ser inevitáveis. Assim como na disputa mítica da década de 80/90, a duelo Hamilton x Rosberg começou bem, com promessas de respeito mútuo. Mas não há amizade e parceria que resista ao caldeirão de emoções e responsabilidades que é disputar a ponta de um Mundial de Fórmula 1, com a certeza de que o seu único adversário é o seu companheiro de equipe.

Hamilton não perdeu o companheiro de equipe de vista durante boa parte da prova. O inglês só ficou para trás quando algo caiu em seu olho e prejudicou a sua pilotagem, nas últimas voltas

O próprio Hamilton citou, após o treino de sábado, ao site Total Race, que buscaria inspiração na épica disputa do passado para lidar com a atual situação. “Não sei se Senna e Prost sentavam e conversavam sobre o que acontecia, eu meio que gosto do jeito com que Senna lidou com a situação. Vou fazer como ele”, disse.

Se a questão é delicada para quem está atrás do volante, imagine para quem está fora das pistas, mas detém o controle da companhia. A Mercedes começou o ano com o título mais do que nas mãos, somente um desastre ou um milagre aerodinâmico de outro time seria capaz de mudar o cenário de domínio absoluto da montadora alemã. De repente, a dobradinha que era encarada como um resultado normal, passou a ser ameaçada pela rivalidade interna dos seus pilotos.

O prejuízo ainda não passa de uma possibilidade. Mas o único questionamento sobre um acidente envolvendo Hamilton x Rosberg não é se vai acontecer, mas quando. Imaginem aquele cenário que se repetiu por duas vezes entre Senna x Prost: qual cuidado terá o piloto que está na frente no campeonato para evitar uma colisão? Nenhum. Quem perde, em caso de acidente doméstico, é a equipe – que não pontua com ninguém.

Além do prejuízo financeiro (em destruir o carro) e esportivo (em perder pontos), há ainda a questão de marketing. Por mais que as disputas ferrenhas façam brilhar os olhos dos torcedores, para os patrocinadores não pega muito bem. Voltando a fita para 80/90: Prost acusava publicamente a Honda de beneficiar Senna, por supostamente conceder ao brasileiro os melhores motores. Os japoneses insistiam que os equipamentos eram iguais, até chegaram ao ponto de sortear os motores (que teoricamente só tinham o número de série diferente) na presença dos pilotos.

Há ainda quem aposte que a Mercedes deva dar uma forcinha para fazer com que haja um rodízio de vencedores, para manter o campeonato disputado até o final. Será?

Na verdade, tudo faz parte da disputa psicológica por trás das corridas. A Fórmula 1 nunca foi um esporte “santo”. Muita coisa que seria encarada como “marmelada” em outras categorias, é vista com naturalidade. O chororô de Hamilton – que se disse prejudicado pela bandeira amarela causada pelo próprio Rosberg na classificação – agora tem um argumento a mais para barganhar algum tipo de vantagem nas próximas corridas. O inglês agora tem a justificativa que precisa para correr com a faca nos dentes, contra o seu rival na disputa do título, não mais contra o seu companheiro de equipe paz-e-amor.

Em Montreal, daqui a duas semanas, o espetáculo está garantido. As longas retas e o traçado desafiador do circuito do Canadá vão proporcionar o que faltou em Mônaco para vermos o 1º round entre Hamilton x Rosberg: ultrapassagens.


Rosberg diz que pole foi estragada por erro de Hamilton: "Custou caro hoje"

Rosberg diz que pole foi estragada por erro de Hamilton: "Custou caro hoje"

Após falha de britânico, alemão teve de tirar o pé, encerrando sequência de sete pole positions da Mercedes. Nico larga em terceiro; Lewis, em nono, no GP da Áustria

Beijo da esposa e abraço do filho: a pole de Massa em imagens

Beijo da esposa e abraço do filho: a pole de Massa em imagens

Brasileiro da Williams supera Mercedes, crava a pole position na Áustria e põe fim a jejum de mais de cinco anos

Pilotos brasileiros comemoram pole de Massa e vitória de Nasr na Áustria

Pilotos brasileiros comemoram pole de Massa e vitória de Nasr na Áustria

Nas redes sociais, Emerson Fittipaldi, Tony Kanaan, Bruno Senna e Luciano Burti festejam feito do compatriota na classificação deste sábado no circuito de Spielberg

Massa diz que boneco de Neymar que ganhou do filho deu sorte: "Especial"

Massa diz que boneco de Neymar que ganhou do filho deu sorte: "Especial"

Brasileiro conta que presente do Felipinho o motivou em treino classificatório deste sábado. É a primeira vez que o menino de quatro anos vê o pai ser pole position

Massa bate Mercedes, crava a pole e põe fim a jejum de mais de cinco anos

Massa bate Mercedes, crava a pole e põe fim a jejum de mais de cinco anos

Com volta perfeita na Áustria, brasileiro faz primeira pole desde GP do Brasil de 2008. Bottas fecha surpreendente primeira fila da Williams. Hamilton erra e é 9º. Nico é 3º

Na Áustria, Bottas lidera último treino livre; Massa é terceiro, a apenas 0s053

Na Áustria, Bottas lidera último treino livre; Massa é terceiro, a apenas 0s053

Williams desbanca Mercedes na última atividade antes da sessão que define o grid

Após rever caso, FIA mantém punição de Pérez por acidente com Massa

Após rever caso, FIA mantém punição de Pérez por acidente com Massa

A pedido da Force India, entidade concorda em avaliar "novos indícios" de incidente no Canadá, mas provas não são suficientes para livrar mexicano de pena aplicada

Lewis dá o troco em Nico, e Massa fica a dois milésimos de Bottas na Áustria

Lewis dá o troco em Nico, e Massa fica a dois milésimos de Bottas na Áustria

Piloto inglês da Mercedes supera companheiro e fecha sexta-feira de treinos no remodelado circuito de Spielberg na frente. Brasileiro da Williams termina em quinto

FIA aceita pedido da Force India e convoca Pérez e Massa para reunião

FIA aceita pedido da Force India e convoca Pérez e Massa para reunião

Pilotos e representantes do time indiano e da Williams serão ouvidos nesta sexta em Spielberg sobre acidente no Canadá. Force India tenta anular punição ao mexicano

Rosberg lidera, Massa é o quarto e Vettel roda no 1º treino livre da Áustria

Rosberg lidera, Massa é o quarto e Vettel roda no 1º treino livre da Áustria

Ponteiro do Mundial fica logo à frente do companheiro Lewis Hamilton, vice-líder. Fernando Alonso termina a atividade inicial em Spielberg na terceira colocação

Massa não confia mais em Pérez após acidente: "Pensarei duas vezes"

Massa não confia mais em Pérez após acidente: "Pensarei duas vezes"

Brasileiro credita colisão à inexperiência e imaturidade de mexicano: "Espero que aprenda, ou sofrerá mais punições no futuro"; caso pode ser revisto por FIA

F-1 veta corte de treino livre na sexta, mas promove pequenas alterações

F-1 veta corte de treino livre na sexta, mas promove pequenas alterações

Mudanças impactam diretamente na quantidade de testes durante a temporada 2015.
Para entrarem em vigor, modificações precisam ser ratificadas por Conselho da FIA

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Hospital suíço confirma entrada de Schumacher: "Chegou nesta manhã"

Hospital suíço confirma entrada de Schumacher: "Chegou nesta manhã"

Heptacampeão da F-1 saiu do coma, deixou hospital na França e foi transferido para outro na Suíça, país onde mora, para nova etapa do processo de recuperação

Mundo da Fórmula 1 comemora saída de Michael Schumacher do coma

Mundo da Fórmula 1 comemora saída de Michael Schumacher do coma

Heptacampeão acordou após seis meses e deixou hospital de Grenoble, na França

Schumacher sai do coma e deixa hospital na França, anuncia assessoria

Schumacher sai do coma e deixa hospital na França, anuncia assessoria

De acordo com Sabine Kehm, ex-piloto alemão vai seguir "longa fase de reabilitação distante dos olhos do público". Família agradece aos médicos e socorristas

Button é picado por inseto entre os olhos e brinca: "Parecendo um Avatar"

Button é picado por inseto entre os olhos e brinca: "Parecendo um Avatar"

Piloto da McLaren tem reação alérgica e precisa faltar a programa de rádio

Jogadores da seleção alemã prestam homenagem a Michael Schumacher

Jogadores da seleção alemã prestam homenagem a Michael Schumacher

Na foto postada em rede social de Benedikt Howedes, atletas relembram última corrida do heptacampeão, realizada em São Paulo, mesmo lugar da abertura da Copa

Button é picado por vespa entre os olhos e brinca: "Parecendo um Avatar"

Button é picado por vespa entre os olhos e brinca: "Parecendo um Avatar"

Piloto da McLaren tem reação alérgica e precisa faltar a programa de rádio

Schumacher é transferido de UTI para ala de reabilitação, diz revista alemã

Schumacher é transferido de UTI para ala de reabilitação, diz revista alemã

Segundo "Bunte", médicos preparam ex-piloto para ser transferido, no futuro, para clínica especializada. Esperança de recuperação total, porém, são cada vez menores

Newey diz que projetará RBR de 2015 e depois vai encarar "novos desafios"

Newey diz que projetará RBR de 2015 e depois vai encarar "novos desafios"

Reconhecido como um dos maiores projetistas da história, "mago da aerodinâmica" admite que restrições da Fórmula 1 o desgastaram, mas não descarta retorno