domingo, 4 de setembro de 2016

Hamilton erra na largada, Rosberg vence na Itália e embola briga pelo título. Massa termina apenas em 9º

Hamilton erra na largada, Rosberg vence na Itália e embola briga pelo título. Massa termina apenas em 9º






Com a vitória de Nico Rosber, Lewis Hamilton viu a vantagem na liderança diminuir para apenas 12 pontos Max Rossi/Reuters Com a Fórmula 1 dominada por dois pilotos que possuem carros praticamente idênticos, qualquer erro de um deles pode significar a vitória do outro. Foi o que Lewis Hamilton viveu neste domingo, no GP da Itália. Ao falhar na largada e cair da pole para a sexta colocação, o inglês praticamente entregou a vitória para seu colega e principal rival, Nico Rosberg. O alemão aproveitou, liderou de ponta a ponta e embolou a disputa pelo título da temporada. Depois de abrir 43 pontos de vantagem e ver Hamilton tomar-lhe a ponta da classificação do Mundial de Pilotos, Rosberg agora volta de vez à briga pelo título. Com o triunfo deste domingo, o alemão chegou a 248 pontos, somente dois atrás do inglês, que lidera a tabela. A vitória de Rosberg não foi ameaçada em nenhum momento. Ele completou as 53 voltas do tradicional Circuito de Monza em 1h17min28s089, pouco mais de 15 segundos à frente de Hamilton, que precisou fazer uma prova de recuperação para terminar ao menos na segunda colocação. Massa anuncia que irá se aposentar da Fórmula 1 ao final desta temporada Fora desta briga particular da Mercedes em que se transformou o campeonato, a Ferrari foi quem apareceu melhor neste domingo, para alegria dos fanáticos torcedores italianos. Sebastian Vettel terminou na terceira colocação e completou o pódio. Pouco atrás, apareceu o outro piloto da equipe, Kimi Raikkonen, em quarto. Na semana em que anunciou o adeus à Fórmula 1 no fim do ano, Felipe Massa pôde comemorar o fato de ter terminado a prova na zona de pontuação. Depois de largar em 11.º, o brasileiro da Williams chegou em nono. Bem diferente de Felipe Nasr. O piloto da Sauber largou em 18.º, se envolveu em um choque com Jolyon Palmer e abandonou nas primeiras voltas. Com 14 etapas já disputadas e com a briga particular dos pilotos da Mercedes mais quente do que nunca, a Fórmula 1 agora vai para Cingapura, onde acontecerá a próxima prova, no dia 18 de setembro. Fique por dentro de tudo o que vai rolar na 24ª edição do Rally dos Sertões

Vettel comemora terceira colocação Max Rossi/Reuters A PROVA - As emoções do GP da Itália ficaram todas no início da corrida deste domingo. Depois de fazer uma volta perfeita no sábado e conquistar a pole com quase meio segundo de vantagem para Rosberg, Hamilton era o grande favorito. Só que ninguém poderia esperar por uma largada tão ruim do inglês. Inexplicavelmente após o sinal verde aparecer, Hamilton foi extremamente lento. A ótima largada de Sebastian Vettel, que o ultrapassou com facilidade, pareceu também atrapalhar. Com isso, o inglês foi ficando para trás. Foi passado também por Rosberg, Raikkonen, Daniel Ricciardo e Valtteri Bottas, caindo para sexto. A liderança ficou com Rosberg, que não mais a perderia. Bem mais atrás, o brasileiro Felipe Massa também conseguiu uma boa largada e saltou de 11.º para oitavo depois de bela ultrapassagem sobre Fernando Alonso. Organização rebate chefão da Fórmula 1 e descarta perder GP do Brasil Só que a superioridade do carro da Mercedes fez com que a sexta posição de Hamilton fosse apenas temporária. Já na segunda volta, o piloto ultrapassou Ricciardo. Pouco depois, foi a vez de Bottas ficar para trás. As paradas nos boxes dos principais concorrentes levaram o inglês à segunda posição. Também na segunda volta, chegou ao fim a corrida de Felipe Nasr. Ele se envolveu em um toque com Palmer, que furou seu pneu e o tirou da pista. Lá na frente, não bastasse a evidente superioridade de seus carros, a Mercedes também acertou na estratégia. Ao contrário das concorrentes, a equipe colocou pneus médios nos carros de seus pilotos e, com isso, realizou somente um pit stop. A decisão fez, mais uma vez, com que Rosberg e Hamilton disputassem uma corrida particular, a muitos segundos de distância dos rivais. Só que o erro no início da prova impediu que Hamilton sequer ameaçasse a vitória de Rosberg. Com isso, a metade final da corrida serviu apenas para confirmar o triunfo do alemão. De emoção nas voltas finais, somente a bela ultrapassagem de Ricciardo sobre Bottas a cinco voltas para o fim, conquistando a quinta colocação. Confira a classificação final do GP da Itália: 1º - Nico Rosberg (ALE/Mercedes), em 1h17min28s089 2º - Lewis Hamilton (ING/Mercedes), a 15s070 3º - Sebastian Vettel (ALE/Ferrari), a 20s990 4º - Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari), a 27s561 5º - Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull), a 45.295 6º - Valtteri Bottas (FIN/Williams), a 51s015 7º - Max Verstappen (HOL/Red Bull), a 54s236 8º - Sergio Pérez (MEX/Force India), a 1min04s954 9º - Felipe Massa (BRA/Williams), a 1min05s617 10º - Nico Hülkenberg (ALE/Force India), a 1min18s656 11º - Romain Grosjean (FRA/Haas), a 1 volta 12º - Jenson Button (ING/McLaren), a 1 volta 13º - Fernando Alonso (ESP/McLaren), a 1 volta 14º - Esteban Gutiérrez (MEX/Haas), a 1 volta 15º - Carlos Sainz Jr. (ESP/Toro Rosso), a 1 volta 16º - Marcus Ericsson (SUE/Sauber), a 1 volta 17º - Kevin Magnussen (DIN/Renault), a 1 volta 18º - Esteban Ocon (FRA/Manor), a 2 voltas Não terminaram a prova: Daniil Kvyat (RUS/Toro Rosso) Jolyon Palmer (ING/Renault) Pascal Wehrlein (ALE/Manor) Felipe Nasr (BRA/Sauber)

Fonte: Automobilismo R7
Categoria: formula-1

sábado, 3 de setembro de 2016

Após anunciar aposentadoria, Massa vai largar em 11º no GP da Itália da F1. Hamilton crava mais uma pole

Após anunciar aposentadoria, Massa vai largar em 11º no GP da Itália da F1. Hamilton crava mais uma pole

Após longa carreira na F1, Massa anunciou que deixará pirncipal categoria do automobilismo ao fim da temporada Max Rossi/Reuters Dois dias depois de anunciar sua aposentadoria da Fórmula 1 ao fim da temporada, Felipe Massa não foi bem no treino classficatório do Grande Prêmio de Monza, na Itália. No palco escolhido especialmente por ele para o anúncio do adeus, em homenagem ao ex-piloto Michael Schumacher, sofreu com problemas no carro e cravou somente a 11.ª posição, ficando inclusive fora do Q3. O inglês Lewis Hamilton, por sua vez, confirmou o grande momento que vive na temporada 2016 da Fórmula 1 e cravou a pole position. No tradicional Circuito de Monza, voltou a vencer a batalha interna com seu companheiro de Mercedes, o alemão Nico Rosberg, e largará na primeira colocação da prova deste domingo (4). Esta foi a sétima pole de Hamilton em 14 etapas no ano. Já foram seis vitórias para o inglês, que conseguiu uma ótima arrancada depois de um início de ano complicado, ultrapassou Rosberg na classificação e hoje ocupa a ponta, com 232 pontos, nove à frente do alemão. Organização rebate chefão da Fórmula 1 e descarta perder GP do Brasil em 2017 Na última prova, na Bélgica, Rosberg levou a melhor e subiu no lugar mais alto do pódio, mas Hamilton foi quem deixou a pista com o sabor da vitória. Isso porque largou na penúltima colocação e conseguiu uma inesperada terceira posição. Neste sábado (3), o inglês voltou a mostrar que vive grande momento ao fazer o melhor tempo do dia, com 1min21s135, quase meio segundo à frente de Rosberg, que sairá em segundo depois de cravar 1min21s613. Fora desta briga particular da Mercedes em que se transformou a temporada, a Ferrari foi a melhor equipe e ocupará a segunda fila no grid, um prêmio para a fanática torcida italiana que compareceu em peso ao Circuito de Monza. Sebastian Vettel será o terceiro, após cravar 1min21s972. Kimi Raikkonen sairá em quarto, com 1min22s065.

Hamilton comemora mais um pole no ano Max Rossi/Reuters O TREINO  O Q1 já mostrou que o dia não seria mesmo dos brasileiros. Felipe Massa até conseguiu o 12.º tempo e avançou à fase seguinte, mas Felipe Nasr seguiu seu calvário nesta temporada da Fórmula 1 e ficou com a 18.ª posição. Um problema no motor foi o mais novo obstáculo para o piloto da Sauber. Mas foi o Q2 que comprovou o péssimo sábado para os brasileiros. Tudo parecia transcorrer sem problemas, com Massa na décima colocação, até os últimos momentos do estágio. Sergio Pérez e Daniel Ricciardo iam ficando de fora, mas buscaram voltas rápidas em suas últimas aparições na pista. Com isso empurraram o piloto da Williams para 11o. O brasileiro também tentou se salvar na última volta, mas não fez o suficiente. Com isso, ficou fora do Q3 e selou sua posição no grid. Fernando Alonso e Jenson Button, sofrendo com mais uma temporada fraca da McLaren, também pararam no Q2. O espanhol sairá na 12.ª colocação, enquanto o inglês foi um pouco pior e será somente o 15.º. No Q3, nada de emoção. Hamilton rapidamente saltou na frente da classificação e viu Rosberg falhar nas tentativas de alcançá-lo. Com o cronômetro já zerado, o alemão ainda completou uma última volta, mas bem atrás de seu principal rival, que pôde comemorar mais uma pole na carreira. Felipe Nasr não foi bem e parou no Q1 e sairá somente em 18.º   Confira o grid de largada do GP da Itália: 1º - Lewis Hamilton (ING/Mercedes), 1min21s135 2º - Nico Rosberg (ALE/Mercedes), 1min21s613 3º - Sebastian Vettel (ALE/Ferrari), 1min21s972 4º - Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari), 1min22s065 5º - Valtteri Bottas (FIN/Williams), 1min22s388 6º - Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull), 1min22s389 7º - Max Verstappen (HOL/Red Bull), 1min22s411 8º - Sergio Pérez (MEX/Force India), 1min22s814 9º - Nico Hülkenberg (ALE/Force India), 1min22s836 10º - Esteban Gutiérrez (MEX/Haas), 1min23s184 11º - Felipe Massa (BRA/Williams), 1min22s967 12º - Romain Grosjean (FRA/Haas), 1min23s092 13º - Fernando Alonso (ESP/McLaren), 1min23s273 14º - Pascal Wehrlein (ALE/Manor), 1min23s315 15º - Jenson Button (ING/McLaren), 1min23s399 16º - Carlos Sainz Jr (ESP/Toro Rosso), 1min23s496 17º - Daniil Kvyat (RUS/Toro Rosso), 1min23s825 18º - Felipe Nasr (BRA/Sauber), 1min23s956 19º - Marcus Ericsson (SUE/Sauber), 1min24s087 20º - Jolyon Palmer (ING/Renault), 1min24s230 21º - Kevin Magnussen (DIN/Renault), 1min24s436 22º - Esteban Ocon (FRA/Manor), sem tempo*

Fonte: Automobilismo R7
Categoria: formula-1

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Massa anuncia que irá se aposentar da Fórmula 1 ao final desta temporada

Massa anuncia que irá se aposentar da Fórmula 1 ao final desta temporada

Felipe Massa anunciou que irá se aposentar ao fim desta temporada Getty Images

Felipe Massa conquistou 11 vitórias em 14 anos de carreira na F-1 REUTERS/Yves Herman Um dia antes do início dos treinos livres do GP da Itália, marcado para este domingo, em Monza, Felipe Massa anunciou nesta quinta-feira que irá se aposentar da Fórmula 1 ao final desta temporada. O piloto de 35 anos de idade revelou que não renovará o seu contrato com a Williams, que expira ao término deste ano, e assim deixará a categoria máxima do automobilismo. R7 Play: assista aos programas da Record quando e onde quiser Dono de 11 vitórias pela Ferrari entre as temporadas de 2006 e 2008, sendo que nesta última foi vice-campeão ao perder o título para Lewis Hamilton em campeonato definido apenas na última volta do GP do Brasil, em Interlagos, Massa assim irá encerrar uma trajetória que ele iniciou em 2002, quando estreou na F1 no GP da Austrália, então pela equipe Sauber. Ao todo, o brasileiro contabiliza 242 corridas na categoria, na qual, além das 11 vitórias, conquistou 16 pole positions, 15 melhores voltas e esteve presente no pódio em 41 provas. Em meio a momento ruim pela Williams, na qual segue sem conseguir resultados expressivos, ele agora então terá mais oito corridas pela frente nesta sua reta final da carreira de piloto de F1 - a última delas será em 27 de novembro, no GP de Abu Dabi. "Estou mais nervoso do que em todas as minhas largadas! Depois de 27 anos competindo, desde quando comecei no kart, e após 15 anos na Fórmula 1, esta será a minha última temporada", afirmou Massa aos jornalistas nesta quinta-feira, ao confirmar a sua decisão. "Serão minhas últimas oito corridas na F1 e eu as curtirei o máximo possível. Muito obrigado a todos que estiveram ao meu redor e que acompanharam minha carreira. Estou orgulhoso de minha carreira, mesmo tendo perdido um campeonato por um ponto", completou, lembrando da disputa emocionante que travou com Hamilton no Mundial de 2008. Massa, por sinal, viu o seu desempenho na Fórmula 1 começar a cair de forma mais significativa a partir do GP da Hungria de 2009, quando sofreu um grave acidente no treino de classificação para a prova. Naquela ocasião, foi atingido em cheio no capacete por uma mola que se soltou do carro do seu compatriota Rubens Barrichello e bateu forte em seguida, precisando ser levado ao hospital em estado preocupante. Após o trauma, ele só voltou a correr em 2010. Ao lado de Rubinho, por sua vez, Massa é o quarto brasileiro com maior número de vitórias na Fórmula 1, com 11 cada um. Os dois só ficam atrás de Ayrton Senna, que acumulou 41 triunfos, Nelson Piquet (23) e Emerson Fittipaldi (14). Em sua trajetória na F1, Massa disputou três temporadas pela Sauber entre 2002 e 2005, sendo que em 2003 atuou como piloto de testes da Ferrari e ficou fora do grid do campeonato. E ele foi titular da tradicional equipe italiana entre 2006 e 2013, antes de ser contratado pela Williams, na qual está desde 2014.

Fonte: Automobilismo R7
Categoria: formula-1